Empresários investem em estacionamentos

Notícia

Empresários investem em estacionamentos

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

A liberação de 242 mil metros quadrados para novas construções e o crescimento de 5% da frota por ano contribuem para a falta de vagas de estacionamento de veículos. Com isso, os empresários investem na construção de garagens no centro.

Na rua Saldanha Marinho, entre a Av. Benjamin Constant e a rua João Abott, uma casa foi demolida, na sexta-feira. O terreno servirá para a implantação de um estacionamento rotativo particular – que antes estava situado na rua Pinheiro Machado.

De acordo com o proprietário do estacionamento, Irineu Schena, o terreno foi alugado para transferir o seu empreendimento. “Aqui será construído um prédio residencial e preciso liberar a área.”

estacionamentoNa Av. Benjamin Constant, entre as ruas Tiradentes e Marechal Deodoro, são quatro construções em andamento. De acordo com o proprietário de uma imobiliária, Marcelo Munhoz, os projetos contemplam poucas ou nenhuma vaga.

Os sete estacionamentos instalados no centro do município não suportam a demanda. “Não tenho mais nenhuma vaga disponível e continuaria sem, caso o espaço fosse maior”, ressalta Irineu Schena.

Para suprir a necessidade dos motoristas, Munhoz quer edificar um prédio de 30 mil metros quadrados de área construída ao lado do Hospital Bruno Born (HBB). O investimento abrigará mil automóveis e terá um espaço comercial à frente.

Ele teve a ideia depois de ver um levantamento, indicando que daqui a oito anos, a frota de veículos do município duplicará. “Se hoje temos falta de estacionamentos, imagina depois.”

Conforme Munhoz, o empreendimento está em estudo e um projeto com investimento de seis empresários será concluído em 40 dias. “Antes mesmo de estar pronto, há interessados que ligaram para reservar uma vaga.”

A mesma ideia teve o proprietário de um posto de gasolina na rua Bento Gonçalves. Carlos Altmayer investe, há dez anos, na construção de um estacionamento com sete pavimentos – três deles concluídos e com 50 vagas disponíveis.

Para o empresário arroio-meense, Elton Weizenann, 42 anos, a construção de novos estacionamentos é urgente. Ele vem uma vez por semana para Lajeado e perde, pelo menos, 30 minutos para conseguir uma vaga.