Promessa de duplicação da ERS-130 é descumprida

Notícia

Promessa de duplicação da ERS-130 é descumprida

Por

Em junho de 2010, o então diretor geral do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), Vicente Britto Pereira anunciou que em dez dias seria aberta a licitação para o projeto de duplicação da ERS-130, no trecho entre Cruzeiro do Sul e Encantado.

Quase dez meses após a promessa, o estado informa que a obra não está projetada e sequer há previsão para início de qualquer estudo. Na última semana, um grupo de líderes regionais esteve na Secretaria de Infraestrutura e Logística (Seinfra) do estado para conferir o andamento do processo.

ers 130O encontro decepcionou a comitiva. “Esperávamos um projeto em andamento, mas fomos avisados de que não há nada”, diz o vice-prefeito de Arroio do Meio, Klaus Schnack.

Ele afirma que a comitiva realizou novo protocolo, reivindicando o projeto de duplicação da rodovia, já com algumas especificidades. Para Arroio do Meio, o vice-prefeito busca incluir a construção de seis intersecções (túneis ou passarelas) para os oito quilômetros de rodovia que cortam o município. Pede ainda ruas laterais no trecho a ser duplicado. “Infelizmente, não foi nos passada nenhuma garantia de que a obra ocorrerá”, lamenta.

Na última semana, o deputado estadual Edson Brum protocolou na Assembleia Legislativa o pedido para duplicar o mesmo trecho da rodovia. Segundo ele, o governo do estado confirmou que, até o segundo semestre, terá recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para as obras.

Registrados 190 acidentes desde 2010

Um levantamento realizado pela Polícia Rodoviária Estadual (PRE) demonstra o perigo da rodovia no trecho entre os quilômetros 58 e 74. Em 16 meses, foram 190 acidentes com duas mortes e 97 pessoas feridas. No total, 369 veículos foram envolvidos.

Destes, 43,68% aconteceram no quilômetro 72, próximo do Posto do Arco, em Lajeado, principal ligação entre os bairros São Cristóvão, Santo André e Campestre. Lá, foram 83 acidentes com 32 feridos e 173 veículos envolvidos. Os números não impressionam o gerente do posto, Nestor Pólis. “Nós nem damos mais bola.”

Pólis afirma que, quando as colisões acontecem, os funcionários fazem a sinalização para os demais motoristas com cones. Ele diz que perdeu a conta de quantos acidentes e mortes viu enquanto trabalhava e acredita que a maioria dos casos acontece por imprudência.

“Muitos condutores veem o sinal amarelo e ultrapassam mesmo assim e não se dão conta (sic) de que o próximo semáforo estará fechado.” Em frente ao posto estão instaladas quatro sinaleiras, duas em cada sentido da rodovia.

De acordo com a concessionária Sulvias, responsável pela ERS-130, o fluxo diário de veículos no trecho concedido é de até cinco mil. Os picos ocorrem na segunda-feira e na sexta-feira, no início da manhã e no fim da tarde.

Anúncio teria sido campanha política

Para o reitor da Univates e presidente do Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari (Codevat), Ney Lazzari, o anúncio do Daer realizado em 2010 foi apenas promessa de campanha. Ele afirma que o governo não tinha o recurso necessário para concretizar a obra. “Temos de começar tudo do zero.”

Ele lembra que, na época da eleição de 2010, foi entregue uma lista a todos os candidatos com oito prioridades para a região. Entre elas, a duplicação da RS-130. “Esta é nossa quarta prioridade.”

Lazzari acrescenta que solicitará uma audiência com o secretário de Infraestrutura e Logística, Beto Albuquerque, para se informar sobre o andamento dos projetos e estabelecer uma estratégia para agilizar a duplicação.

Governo do estado sem projetos

O diretor da Seinfra, Jeferson Couto, diz que os projetos são de responsabilidade do diretor de projetos do Daer, Luis Homero Capistani.

O Daer foi procurado e por meio da assessoria de imprensa responsabiliza a secretaria. Também por meio de assessoria, a Seinfra diz que não há projeto para a duplicação da rodovia.

De acordo com a secretaria, foi deixado pelo governo anterior um anteprojeto para a elaboração do orçamento – sem previsão para a conclusão. “Tudo isso é dinheiro e não podemos fazer um orçamento se não tem recursos para a obra”, informa a assessoria.

Benefícios para a região

O presidente da Câmara de Indústria e Comércio do Vale do Taquari (CIC-VT), Oreno Ardêmio Heineck, diz que a ideia é duplicar o trecho entre Cruzeiro do Sul e Encantando. Segundo ele, a urgência maior é a ligação entre Cruzeiro do Sul e Arroio do Meio.

Heineck salienta a importância da rodovia no desenvolvimento da região. Para ele, se trata de uma importante ligação entre o Vale do Taquari e a Serra Gaúcha, e também com Passo Fundo, na região norte do estado.

Ele ressalta que a rodovia é responsável pelo escoamento de suínos (Encantado), soja (Arroio do Meio) e produtos avícolas (Cruzeiro do Sul). Segundo Heineck, a região tem mais de 400 empresas que abastecem o comércio da região metropolitana com móveis, laticínios e erva-mate.

Acompanhe
nossas
redes sociais