Lesão afasta árbitro do campeonato

Notícia

Lesão afasta árbitro do campeonato

Por

Mesmo com experiên­cia de 20 anos como árbitro de futebol, 15 como profissio­nal, Leandro Pedro Vuaden, 35 anos, teme ficar de fora da Copa do Mundo de 2014. Vuaden foi reprovado nos testes realizados pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), dia 27 de janeiro.

O motivo foi o incômodo que sentiu durante a prova, após ter se lesionado durante a retoma­da de treinamentos para este ano, no dia 6 de janeiro. Segundo Vuaden, a lesão ocorreu por falta de pre­paro físico.

“As festas de fim de ano me renderam alguns qui­los”, diz. Ele estava em Natal, no Rio Grande do Norte, onde pas­sou as férias e retornou após a virada do ano.

leandroForam 12 dias em recupera­ção com medicações e sessões de fisioterapia para iniciar os treinos leves e corridas que for­çavam menos a perna lesiona­da. Quatro dias depois realizou um teste simulado na Ulbra, mesmo local onde ocorreriam os testes oficiais da CBF. Vuaden afirma que se sen­tia seguro para realizar a prova, marcado para dia 27.

Entretanto, ele voltou a sentir o incômodo durante o teste da CBF e não teve confiança para continuar, sendo reprovado. O desportista afirma que o fato é novidade nestes 15 anos como árbitro profissional.

“Foi um choque. Tenho vonta­de de continuar, como vou viver sem trabalhar?”, indaga. Vua­den diz que treinar sozinho é complicado, pois é preciso mar­car o tempo, medir a pressão e correr.

Cerveja com os amigos de vez em quando

Leandro Vuaden assume que gosta de tomar cerveja com os amigos e não se pune por isso. “Preciso viver e as lesões ocorrem a qualquer atleta, em qualquer condicionamento físico”, diz.

Ele diz que a exigência nos testes é grande e estima que 60% dos jogadores seriam reprovados nos testes físicos dos árbitros.

Enquanto a recuperação está em andamento, ele trabalha no ma­rketing esportivo do futebol gaúcho. Vuaden é responsável pelo novo uniforme dos árbitros da Federação Gaúcha de Futebol (FGF).

Objetivo é a recuperação total

Com chimarrão na mão e uma bolsa de gelo amarrada à perna, Vuaden está focado em se recu­perar. Para isso, é acompanhado de perto pelo fisioterapeuta Fa­biano Johan e pela nutricionista Scheila Wolshick.

Em seu cardápio nutricional está a ingestão de vitaminas e minerais a fim de perder peso sem enfraquecer o corpo. Para ele, o principal desafio é a paci­ência, pois o tratamento é lento.

A cada sessão de fisioterapia, Vuaden para 50 minutos, uma eternidade para quem costuma correr. No entanto, o árbitro do Vale não se culpa por ter sido re­provado.

A maratona de jogos do Brasi­leirão 2010 não deu trégua para que se preparasse, pois a dis­tância entre um campo e outro dificultavam. “Teve dias em que apitei jogos numa noite, cheguei em casa às 5h e voltei a atuar na tarde seguinte”, diz.

Quando recuperado, Vuaden espera voltar a apitar os cam­peonatos Brasileiro e Gaúcho de forma responsável. “Quando o árbitro não é notado é porque atuou bem”, finaliza.

Vida do juiz

– Lenadro Vuaden tomou gosto pela arbitragem aos 11 anos, quando apitava jogos nos clubes esportivos;

– Em 1991, começou a atuar em campeonatos amadores. Como profissional, a partir de 1996;

– Assiste às partidas dos times que apitará para avaliar as características dos jogadores;

– Para manter a forma, corre frequentemente e anda de bi­cicleta pela cidade por cerca de 30 minutos.

Como funciona o teste na CBF

Os testes da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) reali­zados na Ulbra, em Porto Alegre consistem em diversas fases:

-seis tiros (corridas) de 40 metros que devem ser reali­zadas em no máximo 6,2 se­gundos cada. O intervalo entre uma corrida e outra não pode ultrapassar um minuto e meio e a sessão total não pode ul­trapassar os oito minutos. O atleta pode ser reprovado em apenas um dos tiros.

-segunda parte é a corrida na pista de 400 metros que é dividida em quatro partes: 50 metros, 200, 250 e 400 metros. Os desportistas devem correr os primeiros 150 metros em 30 segundos. Depois, 50 metros em 35 segundos seguidos de 24 tiros divididos em 12 voltas na pista.