Hidrelétrica será construída em 2011

Notícia

Hidrelétrica será construída em 2011

Por

O O projeto de cons­trução de uma usina hidrelétrica na bar­ragem da eclusa, em Bom Retiro do Sul, está em an­damento há mais de duas déca­das.

Um dos problemas que tranca a concretização da obra é a bu­rocracia para conseguir a regu­larização da área.

barragemO projeto é desenvolvido pelo empresário Leonel Pretto, pro­prietário da área e idealizador do projeto, com as administra­ções públicas de Bom Retiro do Sul, Cruzeiro do Sul e Bom Reti­ro Energia.

Conforme o líder Estadual do Movimento dos Pequenos Agri­cultores e interlocutor do governo federal e os investi­dores, Áurio Scherer, há boas perspectivas para que a obra seja iniciada nos primeiros meses de 2011.

O investimento projetado é de cerca de R$ 100 milhões que serão adquiridos por meio de financiamento com o BNDS.

A usina renderá R$ 100 mil mensais em impostos para Cruzeiro do Sul. “Hoje não temos empreendimento hidrelétrico desta grandeza nos vales do Taquari e Rio Pardo”, diz Scherer.

Ele acrescenta que as exis­tentes na região têm capaci­dade para gerar em torno de quatro a cinco megawats.

Estrutura será reutilizada

Scherer afirma que a ins­talação da usina não trará dano ambiental e nenhuma família terá que ser desaloja­da nas imediações.

O projeto original da usi­na prevê a construção das turbinas cerca de cem me­tros acima das compotas da barragem eclusa. Por meio de um canal será captada a água do lago formado pela eclusa que fará movimentar as turbinas.

“É uma pena que demo­re tanto para sair do papel, pois a obra não tem risco ne­nhum”, acrescenta Scherer.

O que é a barragem

A Barragem Eclusa de Bom Retiro do Sul é um dos principais pontos tu­rísticos da região do Vale.

Sua construção iniciou-se em 1958 e foi concluída em novembro de 1976. Trabalharam nas obras de constru­ção cerca de 800 pessoas entre técni­cos e operários.

Ela tem 230 metros de compri­mentos, na largura do rio, consti­tuindo-se de seis vãos.

O local permite a passagem de embarcações com até 3,20 metros de calado.

Também, foi construída a escada do peixe (escada d’água) destinada a preservar o ciclo biológico dos peixes durante a piracema.