Asfalto concluído há dois meses está danificado

Notícia

Asfalto concluído há dois meses está danificado

Por

Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

O asfaltamento da rua dos Ipês, no bairro Mon­tanha, foi concluído no dia 20 de outubro. Po­rém, em menos de dois meses, a via apresentou dois buracos ao longo dos 700 metros de extensão devido ao rompimento da canali­zação em dois locais.

O primeiro ocorreu no início do mês, e o segundo no sábado passado. A Companhia Riogran­dense de Saneamento (Corsan) de Lajeado fechou os buracos com uma camada de basalto, porém foi ineficaz.

buracoA situação revoltou os morado­res. Conforme o corretor de imó­veis Tailor Becker, 37 anos, cada uma das 37 famílias pagou R$ 3,3 mil para a pavimentação. “Todos pagaram e agora virou essa ba­gunça”, desabafa.

Segundo o secretário de Obras e Serviços Urbanos (Sosur), Mozart Lopes, a diretoria da Corsan se res­ponsabilizou pelo problema. Para ele, quando o asfalto foi colocado, deveria ter sido refeita a canaliza­ção. “Mas, a Corsan disse que era desnecessário”, salienta.

O diretor da Corsan, Luis Afonso Wendt de Queiroz, foi até o local na tarde de quinta-feira e confir­mou que as chuvas dos últimos dias danificaram o asfalto coloca­do nos buracos há uma semana.

Queiroz ressalta que os rompi­mentos do cano aconteceram pela proximidade com o asfalto. Para ele, a empreiteira tentou elevar a camada asfáltica, colocando mais areia, mas não obteve êxito.

A solução apontada por Queiroz é refazer toda a obra, mas descar­tou a possibilidade. “Isto é botar dinheiro da Corsan e da prefeitu­ra fora”, diz. A reforma dos pon­tos afetados na rua dos Ipês será realizada na quarta-feira, dia 29, pela administração municipal, caso não chova. A conclusão está prevista para quinta.

Conserto fica a cargo da prefeitura

As famílias que se sentirem prejudicadas podem recorrer à Justiça contra a prefeitura. De­vido ao acordo firmado com os moradores – que arcaram com parte dos custos, por meio da contribuição de melhoria – , o município é o responsável pela manutenção.

De acordo com o advogado Fá­bio Gisch, uma ação civil pública de reparação de danos pode ser requisitada, caso a obra não seja iniciada. Gisch afirma que com a pavimentação da rua dos Ipês o Imposto sobre Propriedade Pre­dial e Territorial Urbana (IPTU) da área fica mais caro, pois o imóvel foi valorizado.

Os moradores podem solicitar a devolução do dinheiro, caso consigam comprovar na Justiça prejuízo de danos morais e/ou materiais.

Rua das Extremosas será pavimentada

A reivindicação de quatro anos dos moradores da rua das Extremosas, também no bairro Montanha, será atendida. A prefeitura confirmou que, na segunda metade de janeiro de 2011, começará as obras.

O acordo foi firmado em novembro. Cada família terá de pagar R$ 3 mil para obter a melhoria. A pavimentação será de paralelepípedos.

Acompanhe
nossas
redes sociais