Multa aumenta para quem desrespeitar o rotativo

Notícia

Multa aumenta para quem desrespeitar o rotativo

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Com o intuito de respeitar os motoristas que pagam cor­retamente o estacionamen­to rotativo foi aprovada a lei que aumenta a multa para quem desrespeitar a cobrança. Hoje, a multa é de cinco vezes o valor da hora que é de R$ 1,75. Com a nova proposta o valor será multiplicado por 30.

camaraSegundo o presidente da União das Associações de Moradores de Bairros de Lajeado (Uambla), Darci Pólis, a aprovação por parte dos vereadores demonstra respeito aos bons pagado­res. “Não é justo uns pagarem e outros não”, argumenta. Para ele, isso fará com que a maioria respeite o rotativo devido ao alto valor da multa.

Regularização de assessores

A Comissão de Justiça e Redação apresentou seu parecer favorável ao projeto de regularização de 11 car­gos comissionados da Câmara. No entanto, o presidente da Comissão de Finanças e Orçamentos, Delmar Portz, disse não ter recebido o pare­cer, portanto não apresentou o seu parecer. O projeto deverá ser votado na sessão extraordinária que será re­alizada na próxima sessão.

Foram 36 projetos em pauta

Fora o projeto da regularização de assessores, os demais foram à vota­ção. Seis a pedido do líder de gover­no Lorival Silveira. Destes, 18 foram aprovados, 12 tiveram pedidos de vistas, dois foram reprovados pela situação, dois foram retirados, e um recebeu parecer de ilegalidade. Se­gundo a assessoria de imprensa do Legislativo, os projetos não votados serão apreciados antes da eleição da nova Mesa Diretora que ocorre na terça-feira.

Falta planejamento

As críticas foram em relação à falta de planejamento e desconsi­deração aos pedidos feitos pelos ve­readores para recuar as paradas de ônibus e instalar quebra-molas no trecho da RS-413 em que a indus­triaria, Márcia Andrades de Freitas, morreu na última segunda-feira, vítima de atropelamento.

Lorival de Oliveira exigiu no­vamente a colocação de quebra-molas. “Se a Kopp não consegue atender, temos que fazer por nós mesmos”, diz. Hugo Vanzin (PMDB) ressaltou que diversas solicitações foram feitas durante o ano para colocar estes redutores no local. “É mais barato e prático”. Sérgio Kni­phoff (PT) abordou a demora para o atendimento da vítima em São Bento. “Flagramos a fragilidade do sistema de resgate no perímetro urbano”, critica.

Antônio Schäeffer (PTB) lembrou que um menor morreu no local há dois anos. “Esta mulher morreu por uma questão de 30 metros”, diz Schäeffer referindo-se ao recuo da parada de ônibus. Delmar Portz (PSDB) disse que há dez anos é fei­ta solicitação de calçada naquele trecho, mas sem sucesso. “Em Con­ventos a área é igualmente perigo­sa”, avisa.

O vereador Círio Schneider (PP) disse, entretanto, que no local há acostamento e quebra-molas e que o atropelamento foi uma fatalida­de. “Ela não prestou atenção.” Pau­lo Adriano da Silva (PDT) criticou a falta de ação da Secretaria de Obras que podia ter recuado a parada de ônibus e instalado o quebra-molas. “Isto se faz em um dia”, aponta.