Falta de numeração dificulta serviço de carteiros

Notícia

Falta de numeração dificulta serviço de carteiros

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Com 24 anos de experiência, o carteiro José Assis dos Santos, 48 anos, enfrenta dificuldades na entrega de correspondências no perímetro urbano. O serviço fun­ciona desde fevereiro deste ano na cidade.

correiosSantos destaca que os Correios seguem uma regra básica para entregar as correspondências: nome de ruas, numeração de ca­sas e estabelecimentos comerciais. Ele diz que a comunidade não se acostumou com o antigo método de entrega, quando as cartas eram retiradas na agência. “A maioria das pessoas não providenciou a devida identificação. Isto dificulta a entrega”, diz. Diariamente, ele distribui cerca de 300 cartas.

O supervisor operacional dos Correios de Conventos, Leandro Nunes da Silva, passa pelo mesmo problema. Muitas vezes as cartas são devolvidas ao remetente de­marcadas como endereço insufi­ciente, pois falta numeração. “É a mesma coisa que telefonar, sem o número correto não tem como”, compara. O serviço de entrega re­sidual é feito desde março.

Como regularizar

A fiscal municipal Lisandre Thomas explica que a nume­ração correta pode ser obtida por meio do setor de tributos da prefeitura de forma gra­tuita. O letreiro que indica a identificação do prédio po­derá ser comprado em lojas de material de construção.