La Niña agrava onda de frio

Notícia

La Niña agrava onda de frio

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

A madrugada de ontem foi de temperaturas baixas no Vale. A mí­nima registrada pela Metsul Meteorologia foi de 3,8°C em Vacaria e São José dos Ausen­tes onde os termômetros marca­ram 4,4°C e os campos ficaram cobertos de gelo com a geada que caiu na madrugada. Em Urubi­ci, Santa Catarina, termômetros marcaram apenas 1°C e por con­ta dos ventos fortes a sensação foi de quase -15°C.

frioSegundo o diretor da Metsul, Eugenio Hackbart, há 30 anos não eram registradas temperaturas tão baixas. “O frio deve continuar até quinta-feira. Não há previsão de chuva para os próximos dias”, adianta. Hackbart diz que o fenô­meno é propício para a ocorrência de temporais e granizo.

Conforme a coordenadora do Centro de Informações Hidrome­teorológicas da Univates, Grasie­la Both, o frio seria atípico, caso não fosse o efeito La Niña. O fe­nômeno de resfriamento da água do Oceano Pacífico gera ondas de frio mais intensas que o normal, mesmo às vésperas do verão. “Para o Vale está descartada a ocorrência de geada”, diz.

Com o La Niña nada impede a entrada de fortes ondas de frio na estação mais quente do ano. Por isso, esses anos não são tão bons para aproveitar a praia como anos de El Niño, por exemplo.

“Há 40 anos registramos geada”

O agricultor Dérico Graziola, 83 anos, de Tamanduá, Distrito de Mar­ques de Souza, diz que há 40 anos no mês de outubro foi registrada uma geada que trouxe prejuízos irreversí­veis para a maioria das culturas.

Graziola recorda que as lavou­ras de milho perderam 100%. “Estamos há seis dias do início do verão e precisamos usar ca­saco. Este tempo está atrapalha­do”, comenta.

O agricultor Marino Neitzke, 68 anos, de Linha Bastos, diz que no dia 31 de dezembro de 1979 as tem­peraturas mínimas chegaram a 4ºC. “O frio prejudicou o desenvol­vimento das lavouras”, recorda.

Previsão para os próximos dias

Hoje, o ar seco mantém o tempo firme, e o sol deixa a tarde mais quente. A má­xima atinge 30°C na maior parte da região e chega aos 33°C. O frio da madrugada diminui e a mínima varia en­tre 6°C e 8°C.

A partir de amanhã a mas­sa de ar seco perde força, e as áreas de instabilidade provo­cam aumento da nebulosida­de. As chuvas que atingem o norte e o centro do estado são isoladas e de baixo volume. A tarde continua abafada. Tem­peratura oscilando entre 12°C e 30°C.

O sol forte deixa a sexta-feira mais quente e a máxima pas­sa dos 30°C na maior parte do estado. As pancadas de chuva no fim do dia são isoladas e atinge apenas a faixa norte, es­pecialmente a divisa com Santa Catarina. Na maior parte do estado, a sexta-feira termina com tempo firme, e a noite fica abafada. Temperatura oscilan­do entre 15°C e 34°C.

Em tempo

O agricultor Ivo Stürmer, de São Bento, em Lajea­do, que faz registros me­teorológicos, lembra que no dia 16 de novembro de 2000 os termômetros marcaram 3,4ºC. No dia 1º de dezembro a tem­peratura ao sol chegou a 60,2ºC. “Neste ano não houve registro de seca, porém foi em 2000 que verificamos a maior osci­lação da temperatura.”