Abaquar quer enriquecer  o Natal de 130 crianças

Notícia

Abaquar quer enriquecer o Natal de 130 crianças

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

As 130 crianças que frequen­tam mensalmente a Organi­zação Não Governamental Abaquar, do bairro Santo Antonio, se apresentarão neste sábado. Can­tos, danças e peças teatrais querem sensibilizar a comunidade regio­nal para a doação de brinquedos e roupas infantis, tornando o Natal destas crianças mais feliz. “Canta­remos a música Como Zaqueu, vai ser bem bonito”, diz a Pâmela Fa­gundes da Silva, de 8 anos.

criancasA Abaquar oferece 15 oficinas, todas coordenadas por voluntários, em diferentes dias e horários da se­mana. As crianças aprendem dan­ça, música, canto, alimentação al­ternativa, futebol, balé, percussão, filmagens, recreação e artesanato.

A coordenadora do espaço, Pe­tronila Andrade, conta que as práticas são oferecidas de acor­do com as sugestões dos alunos. Cada um pode escolher quantas deseja cursar e em qual mo­mento, desde que respeite o ho­rário da escola, regras de convi­vência e tenha cuidado com os materiais utilizados. “Aqui se transforma o negativo em posi­tivo”, define.

O Santo Antônio é frequente­mente citado como um dos bair­ros mais violentos. Porém, den­tro do Abaquar esta realidade não se verifica. Projetos sociais são testados no local e imple­mentados em diversas partes da região e em outros países por meio dos intercambistas.

Conforme Cláudia Nogueira, voluntária da ONG, até o mo­mento não houve problemas de violência, drogas ou abusos. “Isto acontece porque dentro do pro­jeto as pessoas são respeitadas e amadas pelo que são e não por sua condição social”, declara.

Origem e atuação

O Abaquar, nome originário da palavra indígena que significa “o senhor do voo”, surgiu em 2003 a partir de projeto popular no bair­ro. Marcelo Salvatori, natural de Progresso, conheceu a ideia por meio de Dinamara Feldens, se­cretária de Cultura de Lajeado na época.

Entusiasmado pela iniciativa, ele a levou para a França, país onde mora e cuida da atual sede do projeto. É de lá que vem a maior parte dos recursos para a sua manutenção.

Salvatori transformou a enti­dade em uma ONG devidamente certificada para obter auxílio de projetos sociais do poder público brasileiro e internacional.

Petronila reforça que os objeti­vos são promover a vida, reinte­grar as crianças e adolescentes à comunidade e garantir a valori­zação do bairro e da identidade cultural dos envolvidos.

Ao ingressar no projeto, algu­mas crianças apresentam proble­mas afetivos, psicológicos, mo­rais e físicos. Entre eles, drogas, espancamentos, fome e abando­no. “A atenção e os ensinamentos de nossos voluntários promovem a confiança e a autoestima a es­sas pessoas”, afirma.

A entidade tem o apoio de es­colas e universidades da região e anualmente recebe intercam­bistas europeus interessados em conhecer de perto a vida nas áre­as pobres brasileiras e aprender a modificá-la.

Mais 40 crianças em 2011

Com o encerramento das atividades dos Irmãos Maristas, de Lajeado, a partir de 2011 mais 40 crianças do bairro San­to Antônio passam a ser atendidas pela entidade que busca profissionais e voluntários para ajudar.

Quem estiver disposto a contribuir com o Abaquar, ou mesmo visitar o local e passar tempo com as crianças pode entrar em contato pelo 3748-5590.