Schmidt será o único  do Vale na Assembléia

Notícia

Schmidt será o único do Vale na Assembléia

Por

Dreams - Lateral vertical - Final vertical

Com 29,5 mil votos conquistados na eleição de outubro, Luís Fernando Schmidt, 50 anos, soube, na quinta-feira à tarde, que troca a suplência por uma vaga na Assem­bleia Legislativa. Ele recebeu a notícia por telefone pelo futuro chefe da Casa Civil, Carlos Pestana.

Em casa, o petista recebeu a reportagem do jor­nal A Hora e falou sobre o significado da novidade para o Vale. “Ter o Schmidt lá não significa mila­gres para a região”, afirma.

Ele diz que um deputado pode ser insistente, mas não faz nada individualmente. É necessário que a região se mantenha sintonizada com o poder que define, nesse caso, é positivo que o partido do depu­tado esteja de acordo com o do governador.

schmidtNa Assembleia, Schmidt quer fortalecer a agricul­tura familiar, que é destaque do Vale. A preocupa­ção é manter os jovens no meio rural, assumindo os negócios da família. Para isso, articulará com o governo federal a ampliação das políticas de apoio existentes para que o preço do produto agrícola me­lhore, tomando como exemplo o leite.

Quanto às estradas, diz que não há um governo que consiga fazer tudo. “Não podemos garantir, mas tentaremos alianças públicas e privadas. Falei com o Tarso, buscaremos financiamento internacio­nal”, conta.

A definição da vaga

Ainda pela manhã, era incerto que Schmidt chegas­se à Assembleia Legislativa devido ao governo de coa­lizão. Foram várias etapas que deixaram dúvidas até o anúncio oficial. A vaga para assumir como depu­tado só foi garantida após Luís Fernando Mainardi ser chamado para a Secretaria de Agricultura e Stela Farias para a de Administração.

Diferentemente dos de­mais que assumirão a partir de fevereiro, Schmidt ocupa o posto em janeiro, mesmo período que Tarso Genro, fi­cando um mês na vaga des­tinada ao suplente do man­dato atual – 2006/2010.

Conheça Luís Fernando Schmidt

O futuro deputado nasceu em Boqueirão do Leão, quando ain­da pertencia a Lajeado. Saiu de lá aos 14 anos e em Lajeado foi fotógrafo até os 16. Cursou Admi­nistração de Empresas em Santa Cruz do Sul, formou-se dentista na Universidade Federal de Pelotas (Ufpel). Na facul­dade exerceu a política no movimento estudantil.

De 1988 a 1998, foi ve­reador pela primeira vez, eleito entre os 21 com 352 votos. Na eleição se­guinte atingiu 1.702 vo­tos, maior da história do município até então.

Em 1990, concorreu pela primeira vez a de­putado estadual a pedido de Tarso Genro. Tentou novamente, em 1994, e quatro anos depois se elegeu ao cargo pela pri­meira vez.

Em 1996, se candi­datou à prefeitura. Em 2002, foi reeleito depu­tado e em 2006 e 2010, ficou 2° suplente.