Jovens se arriscam ao andar de lancha à noite

Notícia

Jovens se arriscam ao andar de lancha à noite

Por

Os dois filhos do presidente da Câ­mara de Vereado­res de Lajeado, Ito Lanius, envolveram-se em um acidente com outros três jovens, à 1h de terça-feira. Os cinco rapazes navegavam com uma lancha a motor no Rio Taquari e próximo da Sucatas Cassal, em direção a Cruzeiro do Sul, bateram em pedras.

A lancha virou. Fernando Lanius, 21 anos, e Rodolfo Lanius, 22 anos, nadaram até as margens do rio. Guilherme Rex, 23 anos, Ângelo Ulita, 24, e Diogo Baum, 22, conse­guiram subir na lancha virada e aguardaram o resgate do Corpo de Bombeiros.

Os irmãos Lanius ficaram feridos no rosto e braço e foram encaminhados pela Brigada Militar (BM) de Lajeado até o hospital, os demais saíram ilesos. A lancha ficou encalhada em um barranco às margens de Estrela.

lanchaÀ noite, só com sinalização

Conforme o sargento Anes­tor de Moura, da Patrulha Ambiental de Estrela, só é per­mitido andar de barco durante a noite se estiver sinalizado. O condutor deve respeitar a sinalização do trajeto.

Moura diz que no barco deve ter coletes salva-vidas para to­dos os tripulantes e um farolete para visualizar as boias. “É fácil, a boia verde quer dizer vire à direita, e a vermelha à esquerda. É só cuidar”, diz. Elas sinalizam os locais com maior profundi­dade no rio. “Possivelmente, os rapazes não respeitaram a sinalização e foram parar em locais com pedras, sem profun­didade”, relata.

Cuidados importantes

O professor de canoagem, Miguel Anka, relata que um piloto ou esportista deve ter cuidados redobrados. “Além de sua segurança, ele deve proteger banhistas e pescadores”, afirma. Anka diz que é importante antes de comprar um barco ou pilotá-lo ter instruções com profissionais e ser habilita­do. “É como andar de carro”, compara.

Ele dá dicas de como prevenir acidentes. É pre­ciso verificar sempre se o caiaque, barco ou lancha têm um tampão fechado, ou filtradores, para quando a embarcação virar não afundar. “É importante que o condutor tenha sempre coletes salva-vidas e não ingira bebidas alcoólicas”, alerta.

Anka não recomenda o uso de embarcações du­rante a noite – tanto para pilotagem, como práticas de esporte porque é perigoso.

É preciso habilitação

Para conduzir embarcações para esporte e recreio em águas abrigadas ou de interior de porto, como rios, lagos, canais e praias o primeiro passo é conseguir a Carteira de Arrais Amador.

Ela é concedida pela Capitania dos Portos do estado. O único pré-requisito é o candidato ter mais de 18 anos. A carteira é a prova que o condutor da embarcação tem as condições necessárias para a tarefa. A permissão tem o prazo de dez anos, pode ser renovada e é aceita na maioria dos países.

Algumas instituições par­ticulares promovem o curso para Arrais Amador, mas as provas e a habilitação são fei­tas pela Capitania dos Portos. O teste tem 40 questões de múltipla escolha, e o candida­to precisa acertar metade para obter a carteira.

Entre as matérias envolvidas estão: navegação astronômica; navegação eletrônica – com o auxílio do GPS e outros aparelhos –; estabilidades – correntes marí­timas e manobras –; classificação das embarcações, noções de sobrevivência e meteorologia.

“Aqui não tem fiscalização”

Christian Griesang tirou a carteira Arrais Amador há poucos meses. Ele diz que usa sempre o colete e um engate rápido para desligar o jet ski em caso de emergência. O rapaz não pilota à noite e diz que tem receio mesmo com barcos com iluminação. Ele tem o veículo náutico há dois anos e o utiliza para lazer. Segundo ele, em Lajeado não há fisca­lização, e a maioria navega sem carteira.