Índios querem carro, trabalho e moradias

Notícia

Índios querem carro, trabalho e moradias

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Administra­ção munici­pal negocia com a tribo caingangue uma nova área. O município ofertou locais em Cruzeiro do Sul e uma em Lajeado, nas proximidades onde será construída a arena do Clube Esportivo Lajeadense.

O cacique Dilor Vaz adiantou que gostaria de ficar no Jardim do Cedro.

O acerto final será hoje à tarde, às 16h, no Ministério Público Federal. Na oca­sião, o cacique apresentará pedidos de melhorias para a tribo, e o governo muni­cipal dará o aval.

indiosEntre os pedidos listados por Vaz estão 13 casas no­vas, um galpão de 90 metros quadrados para trabalho e atividade de cultura indí­gena, um carro para emer­gência, transporte diário e um local para trabalho no centro da cidade.

Dilor relata que no ano passado o município opor­tunizou uma barraca para venda de produtos artesa­nais ao lado da parada de ônibus no Parque Professor Theobaldo Dick, mas a ven­da foi baixa. Ele pede para que seja proporcionado um local ao lado da lagoa no parque.

Município aceitará pedidos

Os secretários de Indústria e Comércio, Carlos Alberto Martini, e o de Obras, Mozart Lo­pes, buscaram durante a terça-feira outra área em Lajeado para oferecer à tribo.

O município está disposto a atender a maioria das solicita­ções indígenas, mas pretende negociar com o governo do estado um auxílio. Martini relata que há uma área pos­sível ao lado de onde será construído o está­dio do Lajeadense com 1 hectare de terra. “Se os índios a quiserem, compraremos e depois negociamos com o es­tado”, diz.

Secretária-geral vem a Lajeado na quinta

A secretária-geral de Governo, Ana Pellini, vem para a cidade, na quinta-feira à tarde, para encerrar a negociação da nova penitenciária com o município. Na tarde de ontem, ela relatou que o projeto de construção está pronto e ficou orçado em R$ 26,7 milhões.