Presídio em troca de investimentos

Notícia

Presídio em troca de investimentos

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

A secretária-geral de gover­no, Ana Pellini, adiantou, na semana passada, que aceitará a maioria dos pedidos dos moradores para em troca construir a nova penitenciária na cidade. Hoje, autoridades locais se reúnem com ela para iniciarem as negociações.

O primeiro lote foi encerrado na tarde de ontem, quando os construto­res entregaram ao estado projetos de construção de cinco novas penitenci­árias. Mesmo assim, o processo laje­adense segue em caráter emergencial até a metade de outubro.

Enquanto isso, durante o fim de semana, cerca de 650 moradores dos bairros Santo Antônio, Jardim do Cedro, Nações e Morro 25 se mobi­lizaram para votação da construção de um presídio nas proximidades de suas comunidades. Cerca de 85% dos votos foram a favor e 15% con­tra. No bairro Santo Antônio, mais de 350 pessoas participaram, na segunda-feira. A associação de mo­radores utilizou a sede para receber os votantes. O trabalho voluntário foi realizado das 8h às 17h.

bairrosPedidos antigos de melhorias foram solicitados. Eles vão desde paradas de ônibus até pavimenta­ções em ruas. O município des­confia de que tenha que auxiliar o estado na execução de alguns. “A lista de reivindicações é importan­te para a administração saber o que a comunidade precisa”, lembra o secretário de Indústria e Comércio, Carlos Alberto Martini.

Agora, a preocupação do município é com os índios. A intenção é solicitar ao estado que faça os estudos de impactos de vizinhança, ambiental e social na área indígena, que foram so­licitados pelo Ministério Público Federal (MPF).

Contra o método

O vereador Sérgio Kniphoff é contra a forma atropelada que ocorre as negociações da construção da penitenciária. Ele critica o governo do estado porque apressa a comunidade lajeadense na decisão. “Não sou contra a um novo presídio em Lajeado, mas sim às formas com que o processo está sendo conduzido”, defende o vereador.

Principais pedidos:

Santo Antônio e município

– Investimento de 30% do valor total da obra – R$ 7,5 milhões – para infraestrutu­ra nos bairros próximos a construção;

– caberá ao poder público municipal a elaboração dos projetos técnicos necessá­rios para as obras de infra­estrutura, arcando também com custos;

– Isenção de impostos es­taduais e municipais para a instalação de novas empre­sas nos bairros;

– Transformar o atendimento do posto de saúde existente no bairro em 24h e ampliar especialidades médicas;

– Instalação de um posto permanente da Brigada Mi­litar (24 horas);

– Atual área do presídio deverá retornar para o mu­nicípio;

– Acordo para a constru­ção em até três anos de albergues nas comarcas de Estrela e Teutônia;

– Implantação de sistema prisional feminino em outra cidade da região;

– Manter aberto diálogo para reivindicações futuras.

Nações

– Cercamento e iluminação no campo de futebol;

– Pavimentação de ruas;

– Regulamentação de delimi­tação das áreas da divisa com Cruzeiro do Sul.

Morro 25

– Delimitação da área da divisa com Cruzeiro do Sul;

– Infraestrutura e pavimenta­ção do loteamento Zago;

– Conclusão dos acessos de ligação aos bairros Santo Antônio e Nações.

Jardim do Cedro

– Posto policial;

– Ampliação do ginásio, creche e escola;

– Construção de uma ciclovia;

– Novas paradas de ônibus;

– Aumento da linha de transporte urbano;

– Cercamento do campo de futebol;

– Melhorias nas ruas.