Notícia

Falta de planejamento ameaça Morro Gaúcho

Por

Mesmo sem in­fraestrutura adequada, o Morro Gaúcho é o principal e mais visitado ponto turístico de Arroio do Meio. Localizado em uma área de três mil hectares, a 559 metros acima do nível do mar, o local é selecionado para a prática de esportes de aventura, como montanhismo, mountain bike, paraglider e asa delta. O local é hábitat de diferentes espécies de animais em extinção, como o papagaio sabia-cica e o macaco-prego, e reserva parte da Mata Atlân­tica intacta. São dezenas de visitantes todos os fins de semana, gerando preocupação entre os ambientalistas e a administração municipal.

morroSem um controle de en­trada, o local, que é Área de Preservação Permanente (APP), sofre com as ações do homem. Segundo o biólogo Ricardo Lau, um dos maiores impactos ambientais é causado pela presença de veículos no topo do morro, e para ele, o mu­nicípio deveria investir no eco­turismo. “As verbas podem ser adquiridas por meio de recursos federais para conservação am­biental ou por projetos com as instituições nacionais e interna­cionais da área”, comenta. Para Lau, o ideal seria as pessoas chegarem ao topo caminhando, com um estacionamento para os carros na estrada de acesso. O biólogo diz que seria importante uma infraestrutura com controle de entrada, guias para pessoas conhecerem as trilhas e quios­que com venda de lembranças. “Sempre lembrando que a parceria deve ser feita com os proprietários interessados”, salienta.

Administração busca soluções

Segundo a secretária de Turismo, Jaqueline Kuhn, no último mês, ocorreu uma reunião com representantes da comunidade, entre eles vereadores, esportistas e empresários, para dis­cutir uma solução de uso para o Morro Gaúcho. Ela diz que as opiniões são variadas e que muitas vezes chegam a se con­frontar. “Se a estrada de acesso está ruim, alguns reclamam que não con­seguem chegar. Se está boa, outros reclamam porque liberamos acesso ao local”, relata, acres­centando que muitos não gostariam de vê-lo como ponto turístico.

A secretária lembra a relevância de ouvir os proprietários de áreas de terra localizadas no mor­ro. Para isso, uma nova reunião será marcada só com essas pessoas e, posteriormente, um novo encontro com ambienta­listas. “No próximo ano queremos marcar uma nova reunião, mas dessa vez com a presença de todos, a fim de seguir­mos com um possível aproveitamento do Morro Gaúcho”, diz.

Como chegar:

– Pela RS-130, km 88

Potenciais:

– Vias de escalada esportiva

– Trilhas para caminhadas e para mountain bike

– Local para decolagem de paraglider e de asa-delta (necessita de reforma)

– Mirantes naturais com vistas para cidades de La­jeado, Roca Sales e Colinas

Problemas:

– Aterros de lixo irregulares na estrada de acesso ao topo do morro

– Falta de fiscalização para evitar caça aos animais e degradação da mata nativa

– Acesso de carros ao topo do morro acarreta im­pacto ambiental

– Falta de placas indicativas, levando os visitantes a abrirem novas trilhas, impactando o meio ambiente

Demais pontos turísticos em Arroio do Meio:

– Ponte de ferro

– Palacete Zimmermann

– Igreja de Pedra