Região está carente de  infraestrutura turística

Notícia

Região está carente de infraestrutura turística

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Para concretizar o ob­jetivo de ser inserido no roteiro turístico de milhares de turistas que desembarcarão no país durante a Copa do Mundo do Brasil em 2014, o Vale terá muito trabalho a fazer. Com sua geografia composta de vales e de montanhas, trata-se de uma região com potencial turístico ecológico e as tradi­ções mantidas, principalmente, pelos povos italianos e alemães e que no ano de 2009 atraiu quase 40 mil visitantes. No entanto, a falta de infraestrutura adequada para receber os turis­tas, aliada à falha cachoeiradivulgação das riquezas turísticas pode fazer com que o plano nunca deixe de ser sonho. O princi­pal e mais gritante problema envolve a questão da falta de locais para acomodação dos visitantes. Hoje, o Vale tem 45 hotéis e pousadas distribuídos nas 36 cidades cadastradas na Associação dos Municípios de Turismo dos Vales – Amturvales.

A falta de leitos foi compro­vada durante a 41ª Convenção Estadual Lojista, que ocorreu no último fim de semana, em Laje­ado, a qual recebeu mais de mil visitantes de diversas cidades do estado e país durante os três dias. Na convenção a reporta­gem conversou com 15 turistas que vieram de municípios dis­tantes mais de 150 quilômetros de Lajeado. Do todo, apenas quatro pernoitaram na cidade, enquanto os demais tiveram de buscar hotéis em outros mu­nicípios. Nove optaram por se acomodar em cidades da Serra Gaúcha, e dois ficaram insta­lados em Estrela. O problema atingiu inclusive o presidente da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), Roque Pellizzaro Jr., uma das principais presenças aguardadas no evento. Segundo a organiza­ção, ele teve de se hospedar em Bento Gonçalves, distante 73 quilômetros de Lajeado.

Lajeado possui 721 leitos nos hotéishotel

A principal cidade do Vale do Taquari, Lajeado, conta hoje com oito hotéis, totalizando 721 leitos disponíveis. Segundo o presidente da Amturvales, Ronaldo Zarpellon, por se tratar de uma cidade voltada ao comércio, às indústrias e aos serviços, os hotéis estão praticamente o ano inteiro ocupados por empresários que, ao visitarem a região para realizar negócios, optam por pernoitar na cidade. “Vagas para outros tipos de turismo, geralmente, são encontradas apenas nos fins de semana”, sa­lienta. Para Zarpellon, seria necessário, no mínimo o dobro de leitos para recepcionar turistas em um evento do porte de uma Copa do Mundo.

Problemas de comunicação

Outro problema verificado na convenção foi a fraca divulga­ção das atrações turísticas e a falta de comunicação entre os organizadores. Nenhum dos 15 visitantes entrevistados afirmou ter recebido folhetos ou mate­rial publicitário sobre roteiros turísticos de Lajeado, como o Parque Histórico e o Parque do Engenho, esse último, locali­zado ao lado do Clube Tiro e Caça, onde ocorreu o evento. Questionada sobre o assunto, a turismóloga da Secretaria de Turismo de Lajeado (Secultur), Renata Wais, diz que houve problemas de comunicação com a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL). “Entregamos folhetos para a CDL, mas para nossa surpresa não estavam inclusos no material de divulgação do evento entregue aos participan­tes”, afirma, acrescentando que a Secultur estava presente no evento, divulgando as opções turísticas da cidade.


Os 23 municípios sem Secretaria de Turismo

Apesar de almejar a presença de turistas durante a Copa do Mundo, poucos são os municípios do Vale que têm secretarias es­pecíficas na área do turismo. Das 36 cidades, apenas 23 possuem. Para Zarpellon, essa é uma cultura que tem de ser desenvolvida pelas administrações municipais, que segundo ele, não percebem os benefícios de se investir na área turística. “É importante que existam secre­tarias distintas na área do turismo dentro das administrações, para que os trabalhos possam ser feitos de forma mais centrada e objetiva”, observa, acrescentando que o turismo acarreta aumento de renda para o município e o sur­gimento de novos empregos. “Assim como ocorre em Gramado e Canela. No entanto, eles começaram há mais de 40 anos, enquanto nós estamos iniciando”, diz.

A Hora mostrará potencial turístico

A partir da edição do próximo fim de semana, o jornal A Hora fará reportagens mostrando os principais pontos turísticos do Vale. Uma equipe visitará os 36 municípios e contará as belezas naturais e culturais desses locais. As matérias divulgarão os cinco roteiros turísticos desen­volvidos pela Amturvales – Rota Germânica, Rota Delícias da Colônia, Rota Caminho dos Moinhos, Rota da Erva-Mate e Rota das Gemas e Joias, retratarão as dificuldades encontradas pelos visitantes, como hospedagens, locais para alimentação e acessos aos pontos turísticos e apresentarão dicas turísticas.

Municípios sem Secretaria de Turismo

Arroio do Meio, Bom Retiro do Sul, Canudos do Vale, Capitão, Cruzeiro do Sul, Dois Lajeados, Doutor Ricardo, Estrela, Fazenda Vilanova, Forquetinha, Imigrante, Marques de Souza, Muçum, Pouso Novo, Progresso, Putinga, Relvado, Roca Sales, Santa Clara do Sul, Sério, Tabaí, Travesseiro e Westfalia

Saiba mais

– Dos 36 municípios do Vale do Taquari, apenas 23 têm secretarias de Turismo.

– São 45 hotéis e pousa­das distribuídos entre os 36 municípios do Vale.

– Para receber turistas na Copa do Mundo, Lajeado deve dobrar o número de leitos nos hotéis, que hoje não passam de 721.

– Em 2009, o Vale re­cebeu a visita de 40 mil turistas.