Trânsito readequado outra vez

Notícia

Trânsito readequado outra vez

Por

Mais uma reivindi­cação da comu­nidade fez com que a administ­ração municipal reavaliasse as mudanças realizadas no trânsito em fevereiro. Inco­modados com a falta de retorno e de conversões à esquerda na Av. Alberto Pasqualini, comerciantes e moradores da via exigem desde o período das modificações uma solução para o problema. Segundo o secretário de Obras, Mozart Lopes, inicialmente foi planejada a construção de uma rótula dentro do trevo, mas o projeto não foi aprovado, e uma nova possibili­dade será apresentada ainda este mês. “Decidimos abrir um retorno um pouco antes do trevo, logo atrás do Monumento dos Imigrantes”, explica Lopes, acrescentando que só poderão realizar o retorno os motoristas que estiverem trafe­gando em direção ao bairro São Cristóvão.retorno

O secretário informa que o projeto será finalizado este mês, e que em setembro iniciam-se as obras. Segundo ele, a ideia foi aprovada pelo Conselho Municipal de Trânsito e pela Secretaria de Planejamento do município. Essa será a quinta readequação feita pela administração, após mudar as principais ruas centrais da cidade. Além das duas novas sinaleiras instaladas na Av. Benjamin Con­stant, foram invertidos os sentidos de algumas ruas paralelas a Júlio de Castilhos, que teve um trecho modificado, e o estacionamento do lado direito da Av. Benjamin Constant foi novamente liberado. “Essas readequações estavam den­tro do planejamento inicial. Outras modificações ainda podem ser fei­tas, tudo depende de como o fluxo de veículos fluirá”, afirma.

Sinaleiras sincronizadas

O secretário informa que na última semana, todas as sinaleiras da Av. Benjamin Constant e da esquina com a Av. Alberto Pasqualini até o Colégio Madre Bárbara foram sincronizadas. Com isso, explica Lopes, não devem ocorrer mais engarrafamentos. “Se os motoristas respeita­rem o limite de velocidade, tanto máximo como o mínimo, dificilmente pegarão mais de uma sinaleira fechada”, avalia.

Comunidade agradece

Após quase seis meses de reivindicações, os moradores e comerciantes próximos do local agradecem a futura mudança. Para Paulo Aloísio Gerhardt, que tem uma oficina naquele trecho da avenida, o retorno possibili­tará a redução do percurso até o comércio. “Muitos clientes re­clamavam que tinham de andar o dobro para chegar até minha loja. Agora isso melhorará”, diz. Ape­sar das dificuldades apresentadas pelos clientes, Gerhardt garante que não houve redução nos aten­dimentos. “Ninguém deixou de vir, mas reclamavam da dificul­dade”, afirma. A mesma opinião é sustentada por Delmar Silveira, que mora naquele trecho da ave­nida. “Acho que as mudanças foram boas para a cidade, mas esse retorno será muito impor­tante para nós”, diz.