Orkut pode estar com os dias contados

Notícia

Orkut pode estar com os dias contados

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

A possibilidade da queda da maior rede social brasileira surgiu quan­do o portal de e-mails Gmail, com cerca de 200 milhões de usuários, retirou nos Estados Unidos o atalho para as contas do Orkut. Especula-se que a extinção do site seria uma forma de mi­grar usuários para a nova rede de relacionamentos Google Me, a ser lançada em breve. Essa entraria no mercado com mais da metade do número de adeptos do rival Face­book, que recentemente ultrapassou a marca de meio milhão de usuári­os. A informação é de Kevin Rose, fundador do Digg, e foi divulgada em seu Twitter oficial. orkut

O Orkut está na rede desde 19 de janeiro de 2004 e além de conquistar cerca de 180 milhões de usuários, principalmente no Brasil e Índia, fez parte de uma revolução na internet. A descentralização da informação surgiu nas redes sociais e resultou e em uma nova forma de encarar o mercado digital e a personalização dos conteúdos. O site aproximou amigos, gerou namoros, criou grupos de discussão sobre vários assuntos e, em seus piores momentos, brigas, roubo de dados e mais de cem mil processos judiciais hoje relacionam-se a esse ambiente virtual, 40% relacionados à pedofilia.

Segundo o lajeadense Cesar Brod, sócio-diretor de uma empresa de tecnologia da informação e um dos primeiros brasileiros a ingres­sarem no site a convite de um amigo

da Alemanha, tudo indica que o Google investirá em uma nova rede social. “Mas não acredito que eles acabem com o Orkut. Quando muito, permitirão a migração dos usuários para o Google Me.” Ele afirma que não seria a primeira vez que projetos da empresa são abor­tados. Antes foram Google Gears (que permitia, dentre outras coisas, usar o Google Docs com o com­putador desconectado) e o Lively, que era o Second Life (espécie de mundo virtual) da companhia.

No Vale do Taquari, são mais de dez mil usuários que participam de comunidades locais, que lembram personalidades e locais famosos. Uma pesquisa realizada pela Netpop Research, sob encomenda do Google Brasil, revelou que 75% dos usuários brasileiros de internet acessam o Orkut. O tempo médio de uso men­sal alcança seis horas e 40 minutos em cerca de 24,5 visitas ao mês. Os números impressionam: 80 milhões de recados, 30 milhões de fotos e 3,5 milhões de vídeos publicados por dia. Ao todo são 24 milhões de usuários ativos que lideram o número de aces­sos por país na rede social.

Entenda o caso

A empresa Google quer criar uma rede de relacionamentos própria com caracterís­ticas inovadoras e liga­ção direta com as con­tas de e-mail de seus usuários. Especula-se que o encerramento do Orkut, já desvinculado do Gmail (página de e-mails da Google) em diversos países seja o passo inicial da migra­ção de usuários para o novo portal. Dessa forma, a rede social Google Me entraria em funcionamento com mais da metade do número de usuários do principal concorrente, o Facebook que conta com mais de 500 mil­hões de usuários.

Eles se reencontraram pelo Orkut

O casal de namorados Ana Ana Paula Maziero, 27 Anos, e Felipe Kunert, 28 anos, conheceu-se em 1997, quando foram colegas no 2º grau do Colégio Evangélico Alberto Torres (Ceat). Após 12 anos afastados, ele morando na capital do estado, os jovens reencontraram-se e restabeleceram contato pelo Orkut. Depois disso, trocaram mensagens e-mail e telefonemas durante cerca de dois meses. “Até que um dia combinamos que iria para Lajeado para nos vermos e conversar. Desde esse fim de semana estamos namorando”, afirma Kunert.

Paula acrescenta que o casal nunca teve problemas, como ciúmes, com o Orkut, pois afirmam usá-lo moderada­mente. “Mas acreditamos que em de­terminados casos ele pode gerar muitos problemas em um relacionamento”, diz.

Ele vem para Lajeado ver Ana Paula todos os fins de semana. Nos outros dias, para manter a proxi­midade eles utilizam os meios digitais, pois é uma forma barata e eficiente de contato. “Somos muito amigos e parceiros um do outro, o único momento que talvez possamos dizer que não somos tão pró­ximos é na hora do futebol, pois Ana é gremista e eu sou colorado, mas nada que nãos seja superável”, brinca Kunert. Sobre as especulações a respeito do fim do site, ela acredita que no mundo da in­formação as empresas têm vida curta, “tirando a Microsoft, grandes empresas começaram de um dia para o outro, assim como acabaram de um dia para o outro, ou seja, tudo é possível”, conclui.