Candidatos conheceram as demandas da região

Notícia

Candidatos conheceram as demandas da região

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Vale do Taquari Foi com o objetivo de apro­ximar os eleitores dos pos­síveis governadores do Rio Grande do Sul que a Câma­ra da Indústria, Comércio e Serviços do Vale do Taquari (CIC) organizou, ontem à noite, um encontro envol­vendo os três principais candidatos ao Palácio Piratini, para que fossem discutidos assuntos pertinentes à região. Segundo o presidente da CIC-VT, Oreno Ardêmio Heineck, foi encaminhado antecipadamente aos comitês dos partidos um dossiê com as questões e as reivindicações que foram apresentadas no encontro, a fim de que os políticos se interassem dos principais assuntos relevantes ao Vale. Representando a Federasul, o vice-presidente da entidade, Paulo Hoppe, falou dos baixos índices de crescimento econômico registrados na região nos últimos anos, que está abaixo da média estadual de 2,4% ao ano, contrapondo com a boa localização e a força de produção do Vale do Taquari.

Aos candidatos, foram apresen­tadas seis questões. A primeira tratava do saneamento básico, com ênfase no tratamento da carga orgânica oriunda da área rural, gerada principalmente pela criação de suínos. Segundo o dossiê, a bacia hidrográfica Taquari/Antas é hoje responsável por metade da carga orgânica despejada no Rio Guaíba. O esgoto doméstico foi citado como um problema em, praticamente, todos os municípios da região. A segunda questão foi direcionada à segurança pública, na qual as prin­cipais reivindicações apresentadas foram: a instalação do novo presídio regional e a construção de rede de albergues nos municípios com mais de 20 mil habitantes; a construção da sede regional do Instituto Geral de Perícias (IGP); o suprimento de deficiências existentes na Brigada Militar, Corpo de Bombeiros e Polí­cia Civil; e a adoção de mecanismos de ressocialização de apenados.

Educação, saúde, gestão e desenvolvimento

Uma das principais reclamações envolvendo a educação está na falta de capacitação da mão de obra para ser imediatamente integrada a empresas em desenvolvimento. Na área da saúde, foi apresentada aos candidatos uma pesquisa, mostrando que o Vale tem 21 hospitais para 36 municípios, e que o número de leitos caiu 17% nos últimos sete anos, fazendo com que as adminis­trações enviem diariamente pacientes para grandes centros do estado. Sobre a gestão a ser aplicada no novo governo, o dossiê apresentado aos candidatos questionava quais os planos para mo­dernização da administração pública estadual e as ideias para melhoria do serviço público estadual.

Na questão do desenvolvimento regional, as necessidades apresenta­das foram divididas em três etapas. A primeira foi sobre infraestrutura viária, envolvendo a pavimentação asfáltica dos acessos de seis municípios da região; a duplicação da RS-130 no tre­cho entre Venâncio Aires e Encantado; apoio à modernização do aeródromo regional de Estrela; e apoio ao uso do transporte rodo-hidro-ferroviário de Estrela, transformando-o em platafor­ma logística. A segunda etapa estava focada no turismo e foi pautada basica­mente nos investimentos e mecanismos para atrair turistas e gerar receitas por conta da Copa do Mundo de 2014. A terceira e última etapa estava ligada aos sistemas de produção, com a pro­moção da sustentabilidade da pequena propriedade rural familiar e das micro e pequenas empresas.

Tarso Genrotarso

Saneamento Básico

– Implantar o Programa Água para Todos, universalizando o atendimento;

– Fortalecer a Corsan que passa por uma crise devido aos problemas de gestão e dívidas trabalhistas;

– Trabalhar com o Plano de Aceleração de Crescimento (PAC) 1 e 2, conjunto de projetos para a captação de recursos;

– Firmar parcerias para captar recursos privados para coleta de esgoto.

Segurança Pública

– Implantar modelo do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci) com uso do policiamento comunitário;

– Criar programas articulados para retirar jovens das ruas;

– Trabalhar com gabinetes integrados de segurança pública;

– Estabelecer plano de metas para resolver problemas do sistema prisional.

Educação

– Implementar progressão de piso do Magistério;

– Apoio a instituições de Ensino Técnico e formação contínua de professores;

– Recuperação da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs);

– Investir nas pessoas para ter a educação como elemento fundamental de trabalho.

Saúde

– Regionalizar o atendimento das urgênciase emergências;

– Implantar um sistema informatizado para controlar a prestação profissional. Criar um cartão digital que registrará todas as informações de atendimentos como horário, médico, exames e remédios que foram usados pelo paciente;

– Investimentos no Sistema Único de Saúde (SUS) oferecido nos Posto de Saúde da Família;

– Instalar as Unidades de Pronto-atendimento (UPA) em todas as regiões;

– Reforçar autoridade de Conselhos da Saúde.

Gestão e tamanho do estado

– Equilibrar o teto salarial dos aposentados, baixando os de altos valores como do Judiciário;

– Diminuir a carga tributária que alcançou seu limite;

– Captar recursos de agências internacionais;

– Desonerar alguns setores para aumentar receitas;

Desenvolvimento regional e estadual

– Incentivar interação da cadeia produtiva;

– Fortalecer a matriz produtiva do estado, inclusive para abastecer as empresas instaladas, gerando mão de obra e desenvolvimento para atrair novas empresas;

– Fortelecer e recuperar micro e pequenas empresas;

– Instituir o Seguro Cambial para pequenas e médias empresas exportadoras.;

Yeda Crusius yeda crusius

Saneamento Básico

– Continuar planejamento agregado, visto que um setor influencia outros, exemplo: saúde e meio ambiente;

– Dar andamento no projeto do Fundo de Financiamento para Emergências;

– Seguir com o plano de prevenção a enchentes;

– Parcerias entre união, estado e municípios, e apoio de investidores internacionais para planos de saneamento.

Segurança Pública

– Aumento do efetivo com capacitação, amparo familiar e equipamentos necessários;

– Continuar reformas nos presídios;

– Construção de um complexo prisional em Canoas, como exemplo para todo o estado;

– Analisar remuneração dos profissionais da segurança;

– Implantar nas cidades o Programade Prevenção à Violência (PPV).

Educação

– Continuar os programas Todos pela Educação, Professor Nota 10 e Boa Escola para Todos;

– Valorizar os professores para alcançar melhores indicadores na educação;

– Implantar a educação de turno integral;

– Investir nas escolas técnicas

Saúde

– Criar prioridades para gestantese crianças;

– Regionalizar o sistema de saúde;

– Complementar os leitos paraa drogadição;

– Continuar o repasse de valores para hospitais. Hoje são 365 hospitais, recebendo recursos estaduais.

Gestão e tamanho do estado

– Continuar com a Consulta Popular, estruturada pelo governo;

– Diminuir alíquota de impostos;

– Maior incentivo aos Conselhos Regionais de Desenvolvimento;

– Reforma da previdência, acabando com altos valores pagos a alguns aposentados.

Desenvolvimento regional e estadual –

– Preparar o estado para Copa de 2014, construindo o cais Mauá, um rodo anel em Porto Alegre e capacitar os gaúchos na língua inglesa;

– A copa será uma grande opor tunidade de agilizar o desenvolvimento e fortalecimento econômico e cultural de todo o estado.

José Fogaça jose fogaça

Saneamento Básico

– Implantar o mesmo programa socioambiental de esgoto feito em Porto Alegre;

– Firmar parceria com a Caixa Econômica para ampliar os serviços de tratamento de esgoto;

– Ter um projeto com orçamento próprio para cada região;

– Criar planejamentos com orçamentos para quatro anos;

Segurança Pública

– Recomposição do setor público;

– Desenvolver as regiões a partir dos eixos locais, microrregionais, e regional;

– Criar comitês de gestão regional para definições de orçamentos;

– Reformar o presídio regional, e ampliar vagas do sistema prisional

Educação

– Melhorar serviços públicos de responsabilidade do estado;

– Qualificação da mão de obra nas redes de ensino;

– Descentralizar as necessidades mais urgentes da rede de ensino;

– Expandir o Ensino Médio, fazendo com que os jovens permaneçam 11 anos na escola em vez de seis anos.

Saúde

– Reduzir a mortalidade infantil;

– Implantar e ampliar a rede básica com atendimento médico, exame e medicamentos;

– Fortalecimento dos hospitais regionais;

– Maior distribuição de recursos para equipamentos e capacitação profissional.

Gestão e tamanho do estado

– Controlar as contas públicas para gerar superávit e garantir capacidade de investimentos;

– Reduzir custos e desperdícios para buscar maior eficiência;

– Criação do Portal de Indicadores, para acompanhamento de obras e metas apresentadas pelo governo;

– Seguir com o Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade, no mesmo modelo daquele do implantado em Porto Alegre.

Desenvolvimento regional e estadual

– Continuar todas as obras iniciadas;

– Tornar os serviços públicos eficientes, com políticas que possam controlar a sanidade dos animais, tornando nossa produção viável para exportação

– Criar Agências de Prioridades;

– Aproximar as regiões dos mercados nacionais e internacionais, fortalecendo os Conselhos Regionais, que precisam elencar as prioridades específicas.

Acompanhe
nossas
redes sociais