Renovação de promessas compromete o governo

Notícia

Renovação de promessas compromete o governo

Por

Dreams - Lateral vertical - Final vertical

As expectativas dos moradores das ci­dades que ainda estão sem acesso asfáltico aumentaram, quando em março de 2009, a governa­dora Yeda Crusius anunciou o início de obras em todo o estado. O Palácio Piratini informou que seriam liberados cerca de R$ 180 milhões em 2009 para 49 municípios, R$ 245 milhões em 2010, R$ 300 milhões em 2011 e R$ 273 milhões em 2012 para concluir todos os acessos no estado. Na semana passada, foi anunciada a liberação de R$ 16,5 milhões para o início de mais seis obras em vários municípios. asfalto

Diversas dessas obras foram prometidas por governos passa­dos, e pelo insucesso, deixam a população incrédula em relação à sua concretização. Mesmo assim o governo estadual e o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagens (Daer) garantem que há recursos para iniciar e concluir boa parte dos projetos anunciados. O diretor-geral do Daer, engenheiro Vi­cente de Brito Pereira, explica que é preciso R$ 1 bilhão para concluir obras de asfalto nos acessos municipais no estado. “Isso não significa que as obras não serão realizadas. O que pode ocorrer é que algumas demorarão um pouco mais para serem iniciadas”, adianta.

No Vale do Taquari, as obras concluídas ou em andamento são Boqueirão do Leão a Sério, Forquetinha a Canudos do Vale. Em Travesseiro, o contrato foi refeito, e as obras iniciaram-se há uma semana. Com pendência jurídica estão as obras de Capi­tão a Arroio do Meio e Coqueiro Baixo a Nova Bréscia. O trecho que liga a BR-386 ao município de Forquetinha está em fase de licitação, e as obras deverão iniciar até o fim do mês.

A obra de asfalto da Estra­da Geral Linha Posses, entre Fazenda Vilanova e Paverama, está prevista para durar nove meses. Os recursos para este asfalto, um trecho de 3,7 quilô­metros, também foram libera­dos na sexta-feira, na ordem de R$ 2,4 milhões. Taquari teve a liberação de R$ 6,8 milhões para a pavimentação da TK-36, da localidade de Amoras até a entrada do Rincão São José. Ainda não há previsão do início das obras, nem do prazo para estar concluída. Em Encantado, o recapeamento asfáltico da Av. Padre Anchieta, cujo investimento será de R$ 613 mil, está previsto para sete meses de execução. O recapea­mento da VRS 835 no acesso à Paverama pela BR-386 também foi incluído no orçamento de 2010, cujo trecho tem 11,8 km de extensão e apresenta muitos buracos há anos.

Construção de túnel desafogará fluxo

Dez meses é o tempo previsto para a duração da obra do túnel na ERS-130, entre os bairros Campestre e Universitário. Os recursos foram liberados pelo governo do estado na sema­na passada, na ordem de R$ 2,3 milhões, sendo a contrapartida do município de R$ 500 mil. A estrutura permitirá a ligação da rua João Goulart, no bairro Campestre, com a Av. Amazonas, e cria um novo anel viário pavimentado até a Av. Senador Alberto Pasqualini. O início das obras está previsto para os próximos dias. A prefeita Carmen Regina Pereira Cardoso explica que a obra possibilitará a criação de rota alternativa ao tráfego para acesso a esses e outros bairros, abrindo nova opção para entrar na cidade, em especial, para a Univates, desafogando também o fluxo de veículos na Av. Alberto Pasqualini. “Esse investimento reduzirá em 70% o número de acidentes na área”, destaca o secretário de Obras, Mozart Lopes.

“Essa promessa caiu no descrédito”

Após 20 anos de promessas, os moradores não acreditam mais na execução das obras de pavimentação. A dona de casa Danila Dullius, 45 anos, diz que a promessa da retomada das obras caiu no descrédito. “Só acreditaremos no dia em que o asfalto estiver pronto”, comenta. Danila explica que o principal problema é a poeira ao longo do trecho devido ao grande fluxo de veículos. “O asfalto é fundamental para estimular o crescimento da localidade e oferecer mais qualidade de vida aos morado­res. Estamos cansados de viver na poeira”, observa.

O convênio para asfaltamento de três qui­lômetros da RS-130, a partir da ponte sobre o Arroio Sampaio, em Bom Fim, seguindo em direção à São Miguel foi assinado na semana passada. O investimento será de R$2.324.867,45, sendo R$1.859.890,37 por parte do Daer e R$467.977,08 de contrapartida do município. A previsão de desembolso para este ano é de R$ 410 mil por parte do Daer e R$ 125 mil por parte da prefeitura. O restante deve ser previsto no Orçamento de 2011.

Segundo a secretária do Planejamento, Adriana Schossler, o asfalto beneficiará mais de cem famílias que moram ao longo da rodo­via. “Servirá para o escoamento da produção industrial e agrícola, fortalecerá e ampliará a atividade turística, proporcionando o início para facilitar a ligação entre os municípios de Cruzei­ro do Sul e Venâncio Aires”, completa.

Poeira terá fim

O trecho de 1,7 quilômetro na estra­da municipal Jacob Mallmann que liga as comunidades de Linha Santa Rita e São Jacó a Teutônia será asfaltado ainda este ano. O prefei­to Celso Brönstrup explica que o inves­timento será de R$ 1.520.553,59, sendo R$ 1.201.255,37 do governo do estado e R$ 319.298,22 mil de contrapartida da prefeitura. Com mais esse trecho pavimentado a li­gação entre Estrela e Teutônia (quatro quilômetros) faci­litará a escoação da produção agrícola e o desenvolvi­mento da localidade. “Em 2008, realizamos com recursos próprios a pavimentação asfáltica de 1,8 quilômetro com investimento aproximado de R$ 1 milhão. Agora estamos antecipando uma reivindicação da comunidade que é o término da via, em parceria com o governo do estado”, enfa­tiza Brönstrup.

O agricultor Jorge Strauss, 50 anos, conta os dias para ver as máquinas iniciarem as obras e poder dizer adeus à poeira e ao barro que incomodam centenas de famílias na localidade. “No verão em dias secos somos obri­gados a deixar a casa fechada por causa da poeira. Isso ninguém aguenta mais. Espero que a obra seja concluída e não passe apenas de uma promessa de campanha”, comenta.

Luta pelo progresso

O asfaltamento do trecho de sete quilômetros entre a sede de Forquetinha e o bairro Conventos, de Lajeado, pela Construtora Giovanella, foi liberado pelo governo do esta­do e deve começar neste mês. Com a rodovia pavimentada, segundo o vereador Gerson Drebes (PSDB), que faz parte da comissão que luta pela obra há mais de dez anos, uma nova fase de desenvolvimento che­gará à cidade. “Será o primeiro passo para atrair novas empre­sas e favorecer o crescimento da cidade”, comemora.

A ligação com Lajeado e a BR-386 se somará a outras duas rodovias que estão sendo pavi­mentadas no município. Os pri­meiros quilômetros da RS-421, que liga a Sério e Boqueirão do Leão, receberam nesta semana a primeira camada de asfalto. Situação idêntica a da RS-419, que faz a ligação com Canudos do Vale. Quatro quilômetros até o Parque de Exposições Chris­toph Bauer também recebem asfalto. “Temos já empenhada uma emenda parlamentar para as­faltarmos pelo menos um trecho da rodovia que vai da ponte do Storck até o pórtico, no acesso à BR-386. Forquetinha nunca mais será a mesma”, projeta.

União de esforços

Desde setembro do ano passado, o movimento para agilizar a pavimentação dos acessos municipais ganhou força entre os deputados com a instalação da Comissão dos Municípios Sem Acesso Asfáltico que, integrada por 44 parlamentares, tinha dois principais objetivos: mobilizar os municípios e buscar fontes de receitas. O presidente da Comissão dos Municípios Sem Acesso Asfáltico e prefeito de Boqueirão do Leão, João Davi Goergen diz: “Já houve muito marketing sobre o assunto e estamos totalmente vulneráveis por sermos municípios pequenos. Espero que as obras sejam executadas, porque propiciarão um desenvolvimento grande para todo o estado”. Ele reforça que o asfaltamento dos acessos permitirá que as cidades deixem de depender apenas do setor primário e passem a atrair indústrias e in­vestir em turismo. “Segundo estudo da Secretaria Estadual de Infraestrutura, se todas as obras estivessem prontas hoje haveria um acréscimo de 2,5% no PIB, atingindo cerca de 400 mil pessoas dos 113 municípios”, aponta.