Partidos retomam aliança

Notícia

Partidos retomam aliança

Por

Lajeado -Trocas em pelo me­nos três secretarias municipais devem ocorrer nos pró­ximos dias. Em novembro do ano passado, os tucanos romperam a aliança com PP e nomes vinculados ao partido deixaram o comando de duas secretarias. Na segunda-feira, o presidente do PSDB, Márcio Klaus, confirmou o entendi­mento dos partidos e a aliança no trabalho pelo governo do estado. Ele disse que há possi­bilidades do PSDB reassumir as secretarias da Juventude, Esporte e Lazer (Sejel); Cul­tura e Turismo (Secultur); e Trabalho, Habitação e Assis­tência Social (Sthas). marcio

Os nomes mais cogitados são Daniel Delavald, que concorre à Assembleia Legislativa; Ito Lanius, presidente da câmara de vereadores; e Delmar Portz, vereador. Klaus conta ainda que a decisão de quem assumirá é dos membros do partido e que inclusive novos nomes poderão ser citados. “Não posso divulgá-los ainda porque não conversei com as pessoas”, diz. O partido aguarda pelo convite municipal para assumir as secretarias. Hoje a maioria delas é comandada pelos progressistas. Apenas a Secultur é representada por Gerson Teixeira, do PDT.

Conforme o represen­tante progressista, Marcelo Caumo, os dois partidos conversam sobre o assunto, mas quem decide e escolhe as secretarias é a prefeita Carmem Regina Cardoso (PP). Caumo explica que a prefeita voltou de viagem nesta semana e que ainda não está informada das con­versas. Nos próximos dias os partidos reúnem-se para decisões.

Caumo diz que os pro­gressistas e tucanos, mesmo antes das desavenças, sem­pre tiveram suas próprias filosofias. Ele conta que ambos trabalham juntos pelo governo do estado.

Como foi o desentendimento

Na época da briga hou­ve uma votação entre a diretoria executiva, em que 23 dos 32 membros representando 1,1 mil filiados do partido votaram a favor do rompimento definitivo entre os partido. A maioria entendeu que o governo municipal não cumpriu com o acordo an­tes das eleições. A prefeita Carmem Regina Cardoso prometeu três secretarias, mas nomeou apenas dois do partido: Carlos Kayser, (Sejel), e Evandro de Qua­dros, (Sthas). Dez cargos comissionados foram co­locados à disposição. O funcionário público vincu­lado ao partido que não saiu da prefeitura teve que desmembrar da sigla.