Campanha busca mais doadores

Notícia

Campanha busca mais doadores

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Lajeado – Com apenas 700 doadores regula­res cadastrados junto ao hemo­centro Hemovale, a região está carente de sangue. E foi pensando em melhorar essa estatística que a câmara de vereadores lançou, nesta terça-feira, a campanha de doação de sangue em Laje­ado. Segundo o presidente do |Legislativo, Ito Lanius, o principal objetivo é aumentar o número de doadores, in­centivando essa prática, para atender a média de transfusão mensal da Hemovale e fazer com que outras entidades sigam esse exemplo. “Trata-se de um gesto simples, que pode salvar vidas”, salienta. De acordo com o diretor ad­ministrativo do hemocentro, Vergílio Goerck, hoje existe um déficit de 200 doadores para atender a média mensal, que chega a 900 receptores. “Esperamos que, com esta campanha, possamos atingir ao menos o mínimo necessá­rio”, afirma. sangue

Vergílio explica que em Lajeado a média de doado­res esporádicos é de cinco por mês, e que o ideal seria 30. O déficit ocorre também com doadores regulares. São 80 hoje, quando seriam necessários 300. Segundo ele, existem alguns critérios para se doar sangue (veja na tabela), e os homens podem doar uma vez a cada dois meses, enquanto as mulheres somente uma vez a cada três meses. Goerck diz que o hemocentro aten­te 26 hospitais das regiões dos vales do Taquari e Rio Pardo, Caí e Centro Sul, e que 70% dos pacientes são encaminhados através do Sistema Único de Saúde (SUS). “Somos uma enti­dade salvadora de vidas, e por isso a importância des­tes apoios. Esperamos que outras entidades da região se unam neste processo”, salienta.

Novas ações

Segundo Lanius, na manhã de hoje, vereadores e assessores darão início à campanha doando sangue, e no sábado, está agendada uma blitz no Parque Professor Theobaldo Dick para divulgação. De acordo com Tatiana Sander, da agência responsável pelas peças publicitárias, a campanha será dividida em duas fases. A primeira será responsável pela introdução e sensibilização do processo dentro da comunidade, e na segunda haverá a veiculação de entrevistas e programas com doadores regulares para relatar suas experiências para as demais pessoas.