Ladrões estragam a festa das comunidades

Notícia

Ladrões estragam a festa das comunidades

Por

Vale do Sampaio -Moradores estão apreensivos com o crescente número de furtos em noites de bailes nas comunidades interioranas. Enquanto que as famílias estão na festa, os ladrões aproveitam as casas vazias para vascu­lhar os cômodos. O fato está ocorrendo no interior de Santa Clara do Sul, de Mato Leitão, de Cruzeiro do Sul e de Venân­cio Aires. Em todos os casos os ladrões entram através da janela das casas de pessoas ligadas à diretoria dos clubes ou associações locais.

O caso mais recente ocorreu sábado, dia 19, em Picada Santa Clara, Santa Clara do Sul, quando a casa do pre­sidente da associação local, Antonio Hermann, 51 anos, que sediava um jantar-baile, foi invadida. A casa localiza-se a aproximadamente três quilômetros do local do evento e de acordo com a esposa do presidente, Claci Hermann, 52 anos, os bandidos levaram quase R$ 10 mil em roupas, celulares, joias e uma moto. “Quando um dos meus filhos voltou para casa, por volta das 23h30min, para trocar de roupa tudo já estava revirado”, diz. Clair está inconformada com a situação, pois conforme des­taca, “trabalhamos muito para conquistar estes objetos”. Ela conta que um dos filhos ficou traumatizado e reage assustado, quando carros estacionam em frente à sua casa. furtos

No dia 12, a vítima foi Darci­lo Lermann, 43 anos, que reside em Linha Santana, no interior de Venâncio Aires. Ele estava trabalhando voluntariamente da Associação Esportiva e Recreativa Santo Antônio, que fica a dois quilômetros da sua casa, quando essa foi invadida. Segundo ele, quase tudo foi retirado das gavetas e dos armários e foram furtados R$ 300 em dinheiro e R$ 2,5 mil em equipamentos. “Suspei­tamos que tenha a participação de pessoas conhecidas, pois sabiam que não estaríamos em casa”, arrisca.

Caso semelhante

Em Arroio Bonito, no in­terior de Mato Leitão, foram furtados, no dia 8, uma moto e R$ 1 mil em dinheiro das residências de Ana Sibila Lenhardt, 59 anos, e do filho Gilmar Lenhardt, que ficam uma ao lado da outra. Ana Si­bila suspeita que o furto tenha acontecido no início do baile, entre 19h15min e 20h. No dia seguinte, foram encontradas pegadas em vários pontos ao redor da casa, supondo-se que estivessem escondidos já no início da noite. Depois disso, ambos proprietários instalaram alarmes nas suas casas.

A Brigada Militar de am­bos os municípios investiga os casos e garante que de imediato promoverá mais patrulhamento em noites de bailes nas comunidades. “Em Santa Clara do Sul, durante os bailes, decidimos patrulhar as comunidades com dois veículos”, afirma o sargento Roque Luiz Mantovani. O Comando Regional de Polícia Ostensiva do Vale do Taquari (CRPO-VT) investiga o modo de atuação dos bandidos para identificar a existência de uma possível quadrilha e repassar aos comandantes desses mu­nicípios uma forma de operar com maior eficiência.