Fumicultor prepara a nova safra

Notícia

Fumicultor prepara a nova safra

Por

Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

fumicultorApesar das quei­xas em relação ao preço pago pelas indústrias, os fumicultores preparam a safra 2010/11. Na maioria das propriedades da região o fumo foi semeado, e as mu­das começam a se desenvol­ver nas bandejas plásticas, no chamado sistema float.

O produtor Valmor Ed­mundo Cornéllius, 45 anos, de Picada Cornéllius, em Marques de Souza, realizou a semeadura há uma sema­na e agora acompanha a germinação. Em meados de agosto, as primeiras mudas serão transferidas para as lavouras. “Estamos acre­ditando em uma boa safra, para compensar os prejuízos da anterior por causa da enchente e do excesso de chuvas”, observa.

Cornéllius tem parte da safra guardada nos galpões à espera de melhores preços. Explicou que a média por arroba melhorou um pouco na última venda, mas ainda está aquém do que espera­vam. “O custo de produção era muito alto, e as perdas chegam a 35%. Por isso é fundamental obtermos me­lhores preços para pagar as despesas”, explica.

Este ano, ele deve plantar 40 mil pés, a mesma quan­tidade do ano passado. Ava­liou que ninguém deveria ampliar a área. “Precisamos investir em qualidade e com isso o preço melhora”, apon­ta. A família deverá investir também na produção de leite para diversificar a renda e obter melhores lucros na lavoura. “Queremos chegar a uma média de 120 litros diários”, projeta Maico, 23 anos, que optou em ficar no meio rural para ajudar os pais.O presidente da Asso­ciação dos Fumicultores do Brasil, Benício Albano Werner, avalia que a maioria dos agricultores preparou a terra, e as mudas estão em bom desenvolvimento.

Área deve reduzir

Dados da Associação apontam que em 2009, nos três estados do sul, a área plantada com fumo chegou a 376 mil hec­tares. Para este ano, as pesquisas realizadas pela Afubra indicam que pode­rá haver uma redução de até 9%. A produtividade da safra passada caiu em 15%. A causa foi o exces­so de chuva. “Deveremos ter uma redução da área cultivada este ano, mas se as condições meteo­rológicas forem boas, o volume produzido voltará a crescer”, explica. Wer­ner estima que 20% do tabaco produzido nesta safra está nos galpões, esperando por melhora no preço. A média regis­trada pela maioria dos produtores tem chegado a R$ 90 por arroba.

Foto giovane weber

Acompanhe
nossas
redes sociais