Voluntários recolhem lixo de arroios

Notícia

Voluntários recolhem lixo de arroios

Por

Ação coordenada pela Associação de Prestação de Serviços e Assis­tência Técnica de Sampaio (Apsat) mobilizou escolas e parte da comunidade do Vale Sampaio, a fim de recolher lixo dos arroios locais. Desde quarta-feira, alunos de quatro escolas, produtores rurais, empresários, vereadores e servidores públicos percor­reram dez quilômetros do leito dos arroios Sampaio e Sampainho. A equipe coletou em dois dias mais de cinco toneladas de lixo.

Ao garantir nova mobili­zação para o ano que vem, o presidente da Apsat, Aloísio Heisler, falou sobre a impor­tância da conscientização de toda sociedade na preservação do meio ambiente. “Infeliz­mente muitas pessoas deixam de cumprir seu dever. Aqueles que realmente deveriam parti­cipar se omitem”, aponta.

Além dos alunos de quatro escolas municipais, cerca de 70 voluntários participaram da ação que termina nesta sexta-feira com palestras relacionadas à preservação ambiental na Sociedade Es­portiva Sampaio (Soesa). O voluntário Darlan Herrmann, 25 anos, se surpreendeu com a variedade de lixo encon­trado. “Achamos freezers, fogões e muito plástico”, nota, considerando ser lixo proveniente da enchente de janeiro.

O biólogo da Prefeitura de Santa Clara do Sul, Luiz Stefens, destaca a mobiliza­ção dos moradores, que na sua visão, deveriam servir de inspiração para ações seme­lhantes em toda região. Ele falou sobre o envolvimento das escolas, importante para educar ambientalmente os alunos. “Precisamos inten­sificar a educação ambiental para formar cidadãos mais conscientes”, justifica.

apsat

Opinião semelhante teve Vianei Wille, presidente do Sindicato dos Trabalhado­res Rurais de Santa Clara do Sul. Para o sindicalista, todas as ações voltadas ao cuidado do meio ambiente serão balizadas pela entida­de. “Essa deve ser também a visão dos agricultores. Cada um precisa fazer sua parte, pois de alguma forma, todos poluímos”, acrescenta.

Para o biológo Luis Stefens, a quantidade de lixo recolhido está distante de solucionar os problemas ambientais existentes no mundo inteiro. Contudo, significa, no seu ponto de vista, um exemplo a ser seguido por demais entidades ou organizações. Ele comemorou a quantidade mínima de emba­lagens de agrotóxicos encontradas durante o recolhimento. “Isso comprova uma evolução dos agricultores que parecem estar cientes das responsabilidades que recai sobre eles, quando não descartam de forma correta essas embalagens”, observa o biólogo.