Modificações na rua central geram reclamações

Notícia

Modificações na rua central geram reclamações

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

mudançasAs obras de refor­mulação são dis­cutidas entre a comunidade, empresários e administração desde ju­lho de 2005. Após quatro meses em andamento, al­gumas mudanças que ocor­rem não agradam e geram reclamações. Um exemplo é a redução das vagas de estacionamento com a construção de canteiros na frente de estabelecimentos comerciais. Empresários alegam que mudança pre­judica as vendas e reduziu em 50% a capacidade de estacionamento para os clientes.

A moradora Márcia Re­gina Costa, 39 anos, ob­serva que as modificações prejudicarão o trânsito. “Deveria ter sido mais planejado. Nem bem ini­ciaram-se as obras e falta estacionamento. Aliás a rua ficou muito estreita e com isso aumenta o risco de ocorrerem acidentes. Quem fez o projeto com certeza não tem carro, pois do contrário deveria ter visto que dois carros maiores não conseguem passar pela via”, critica.Ela entende que os em­presários foram prejudi­cados. “Onde os clientes estacionarão. Encheram de canteiros e esqueceram dos espaços para os carros estacionar”, lamenta.Silvano Majolo, 70 anos, comenta que as mu­danças deveriam ter sido mais estudadas. “O estrei­tamento da rua prejudicará o bom andamento do trân­sito. Deveriam transfor­mar a via em mão única para resolver este proble­ma e evitar transtornos no futuro”, aponta.

Rua poderá virar mão única

O engenheiro Carlos Persch explica que as mudan­ças visam trazer mais segurança e comodidade para os pedestres. Quanto aos problemas de estacionamento, Persch explica que foi feito um estudo em relação à quantidade de veículos que circulam diariamente no local. “Hoje não faltam vagas para estacionar. O que atrapalha são as obras que estão sendo executadas”, disse.

O objetivo das mudanças é tornar o centro mais atrativo. “Isso mudará o visual da cidade e melhorar a infraestrutura”, explica. Quanto ao estreitamento da rua, o engenheiro adianta que existe um estudo para tornar a via em mão única. “Tudo dependerá do fluxo de carros depois da conclusão das obras”, finaliza.

Mudanças previstas

As reformas serão executadas entre as ruas São Gabriel e Visconde do Rio Branco numa extensão de aproximada­mente 500 metros. As calçadas serão alargadas, porém os cruzamentos sofrerão um alargamento maior, visando a redução da velocidade dos veículos no momento das conversões, facilitando o cruzamento de pedestres. Nelas haverá acesso para cadeirantes, floreiras e iluminação, destacando que na esquina com a rua São João terá es­tacionamento para portadores de necessidades especiais. Entre as quadras, será feito também um alargamento maior de 2,3 metros, destinado ao mobiliário urbano e ilumina­ção. A obra contará com a complementação da rede de drenagem pluvial, lembrando que a rua a ser revigorada e permanecerá com fluxo de veículos em mão dupla.O projeto prevê a troca do pavimento de todas as cal­çadas, proporcionando um único padrão em toda a sua extensão.

Foto Giovane Weber