Trilhos trazem novas esperanças

Notícia

Trilhos trazem novas esperanças

Por

Com capacidade para 60 passa­geiros cada, os seis vagões estão parados há 10 anos em São Paulo e eram patrimônio da Rede Ferroviária Federal antes de pertencerem ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit), que agora repassou a sucata para a Ferrotur Instituto Inprefer. Segundo o presidente da Associação dos Municípios de Turismo dos Vales (Amturvales), Ronaldo Zarpellon, essa será a empresa responsável pela utilização do trem.trilhosZarpellon explica que foram poucas as ações realizadas até o momento para adquirir recursos para a reforma dos vagões, e que os gas­tos podem chegar a R$ 2 milhões. Segundo ele, no dia 30 de abril haverá so­lenidade em Guaporé, onde será lançado oficialmente o plano turístico. “A partir de então, mobilizaremos todos os representantes dos municípios envolvidos e acionaremos todo o Vale do Taquari, buscando apoio inclusive de empresas priva­das”, explica.

O presidente adianta que a reunião do dia 30 deverá contar com a presença dos prefeitos de Colinas, Es­trela, Roca Sales, Muçum, Vespasiano Corrêa e Gua­poré, e com a participação de diretores do Dnit e da empresa Ferrotur. “Nesse encontro, serão discutidos assuntos como a aquisição de recursos, a estrutura que será montada para os turistas, bem como toda a logística do programa”, recursos

afirma. De acordo com Zarpellon, não existe uma previsão dos preços do pas­seio, e se haverão paradas em pontos turísticos. “Po­demos dizer que o passeio incluirá diversos pontos turísticos naturais, com destaque para o viaduto 13, em Vespasiano Corrêa, o maior da América Latina”, salienta, acrescentando que o trem funcionará a partir de setembro deste ano, e uma plataforma deverá ser construída junto ao Porto de Estrela para guardar os vagões.