Produtos de verão cedem lugar aos Chocolates

Notícia

Produtos de verão cedem lugar aos Chocolates

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

pascoaConforme a pesquisa divulgada na última semana pela Associação Gaúcha de Supermerca­dos (Agas), a expectativa para este ano é de que produtos típicos da data fiquem 6,9% mais caros em relação ao mesmo período no ano passado. O aumento desses valores deve-se principalmente à alta nos preços do cacau e do açúcar. Ainda assim o setor supermercadista gaú­cho espera um faturamento cerca de 13,5% superior em relação a 2009, que não passou dos 4,9%. Entre as mercadorias que os consu­midores pretendem adquirir no pe­ríodo estão refrigerantes (75,0%), peixes (52,0%), ovos de chocolate (86,5%), bombons (67,0%) e chocolates diversos (46,5%). A pesquisa revela que 35% dos su­permercadistas pretendem ampliar o quadro de funcionários e cerca de 90% das empresas oferecerão promoções.

Segundo a assessoria da rede de Supermercados Imec, a expecta­tiva é de um incremento de 25% em relação ao ano passado. Para abastecer suas 24 lojas foram adquiridas aproximadamente 15 mil caixas de ovos de chocolate. “A seção da Páscoa será reposta cada vez que houver necessidade, não esquecendo da qualidade dos ovos colocados à venda”, comenta o comprador Alexandre Buza, lembrando que “a parceria com grandes indústrias de chocolate é que garante a variedade ao con­sumidor”.

No Rio Grande do Sul serão geradas 1,2 mil vagas temporárias em função do período, a maioria na indústria. Segundo informações da Associação Brasileira da Indústria de Chocolate, o Brasil é o segundo maior fabricante de ovos de choco­late do mundo (em primeiro lugar está a Inglaterra). A expectativa é que em 2010 se produzam 120 milhões de ovos, 7 milhões a mais que no ano passado.

Personagens famosos X produção artesanal

Segundo Renato Luís Cemin, gerente da matriz Imec em Lajeado, o supermercado aposta na venda dos ovos “recheados” com brin­quedos, diferente das tradicionais guloseimas. São bonecas, roupas de super-heróis e minigames que prometem impulsionar o consumo desses produtos no final de março. “Minha filha de dois anos exigiu um com os bichinhos da animação Era do Gelo, acredito que os produtos com personagens famosos estão no topo da lista de preferências da criançada”, diz. Ele espera um rendimento superior na venda dos chocolates em relação ao ano pas­sado e informa que os produtos mais procurados no verão, como bebidas diversas, cederam lugar aos doces no supermercado. “Outra opção são as barras de chocolate, muito procuradas por aqueles que gostam de fazer ovos caseiros para presentear de uma maneira original a família”, conclui.

A dona de casa e confeiteira Sabrine Kerben, de Colinas, comemora o acréscimo na renda familiar em consequência da pro­ximidade da Páscoa. Ela contratou duas funcionárias para ajudar na preparação de 800 a mil ovos de chocolate vendidos a R$ 18 cada um. “Gasto uma média de R$ 9 por unidade, o rendimento é de 100% em relação ao custo inicial”, co­memora. Segundo Sabrine, a maior parte da produção é destinada aos mercados de pequeno e médio porte em cidades próximas. Ela faz questão de salientar que a procura por marcas artesanais tem crescido de ano a ano. “Acredito que essa é uma alternativa de renda importan­te para quem gosta de culinária e não tem preguiça de colocar a mão na massa”, avalia.

Elton Faleiro, presidente da CDL de Lajeado, conta que no setor de comércio e serviços é registrada uma pequena variação positiva na data e acredita que esse aumento não é tão expressivo em relação ao setor industrial e supermercadista, seu maior beneficiado. “Empresas do ramo da alimentação e entretenimento são beneficiadas pelo feriado e o movimento de famílias que se deslocam para confraternizar no período”, afirma. Ele acrescenta que os horários de comércio permanecem inalterados, sendo facultativo o acréscimo de duas horas extras na jornada de traba­lho de acordo com o desejo dos empreendimentos e empregados.

Foto Frederico Sehn