Trânsito poderá ser readequado

Notícia

Trânsito poderá ser readequado

Por

Menos de um mês após as mudanças no trânsito cen­tral de Lajeado, o governo municipal já acena com a possibilidade de alterar algumas decisões, principalmente pelas constantes reclamações de empresários e motoristas. Uma das principais polêmicas está no trecho da Av. Alberto Pasqualini, pró­xima do trevo da BR- 386, principal acesso do município. A proibição dos retornos teria diminuído a presença de clientes em alguns estabelecimentos, localizado do lado direito da via (sentido bairro-centro), o que causou indignação de alguns comerciantes. Entre eles está Luis Brenner, proprietário de uma revendedora de motos, e que na segunda-feira participou de uma reunião, envolvendo comunidade e Poder Público. No encontro foram discutidas algumas reclamações e marcado um novo encontro desta vez com a participação do engenheiro responsável pe­las mudanças. Segundo Brenner, para todos os clientes que vêm do centro da cidade, a dificuldade de acesso à sua loja é grande. “Eles precisam fazer um retorno absurdo, que lhes toma muito tempo, e algumas ve­zes, faz com que desistam ou deixem para vir outra hora ao estabelecimento”, garante. Outro problema citado seria o fato de muitos ainda utilizarem o trevo da BR 386 para realizarem o retorno.

pasqualini

Brenner reclama que seja providenciado ao menos um retorno entre a cidade e o tre­vo. Ele garante que o problema não atinge apenas seu estabelecimento, mas sim as duas últimas quadras da avenida antes do acesso da cidade. “Temos revendedoras, lojas de autopeças, padarias, e inclusive prédios residenciais, se antes era complicado retor­nar, agora ficou quase que inviável”, diz. O empresário não é contra a mudança do trânsito e inclusive afirma que elas vieram para melhorar o intenso fluxo de veículos, e que nota que isso está ocorrendo. “Ape­nas penso que possa ser repensado algumas situações. Não há porque ser uma mudança tão drástica”, observa. Segundo ele, com o aumento do fluxo nas ruas transversais e dos semáforos na avenida, a tendência é que o re­torno por essas vias fique mais devagar. “Era lento andar pelas transversais, agora sem os retornos, ficará pior”, acredita. Segundo Brenner, outra reclamação que será levada para a reunião é sobre os estacionamentos da Av. Benjamin Constant. “A maioria dos estabelecimentos comerciais está do lado direito da via, no entanto o estacionamento só é permitido no lado oposto”, observa.

Administração analisará reclamações

Segundo o secretário de Governo, Isido­ro Fornari Neto, a administração municipal está providenciando uma nova reunião para discutir a questão do trecho da Av. Alberto Pasqualini, próxima do trevo de acesso da cidade para que se chegar a melhor alterna­tiva para o local. “Esses questionamentos da comunidade são importantes. A admi­nistração está aberta a sugestões, pois as mudanças não são engessadas, elas estão sujeitas a readequações. Mas isso depende de estudos”, observou. Desta vez, explica Fornari, o encontro terá a participação do engenheiro responsável pela mudança, que ouvirá as dúvidas e críticas da comunidade. “Com isso, queremos alcançar a melhor alternativa para melhorar o trânsito naquele local”, salienta, acrescentando que, apenas com mais tempo analisando o novo fluxo será possível ter uma posição definitiva sobre o melhor plano a ser efetuado.

O que ainda pode mudar

Estacionamento na Av. Benjamim Constant poderá ser liberado nos dois lados da pista

Estacionamento na rua Bento Gon­çalves poderá ser extinto em um lado da via

Parque do Dick poderá virar esta­cionamento pago. Ideia seria aprovei­tar a área localiza­da próximo do cen­tro para desafogar as ruas principais. Prefeitura deve­rá propor parceria para a Uambla, in­clusive com preços especiais

Engenheiros de Porto Alegre virão ainda esta semana para analisar o fluxo e a situação na Av. Pasqualini, in­clusive os tempos dos semáforos

Foto Rodrigo Martini