Pepinos agregam renda para produtores

Notícia

Pepinos agregam renda para produtores

Por

pepinosNo município com pouco mais de dois mil habitantes o cultivo da hortaliça tornou-se a solução para variar a economia, gerar negócios e servir como fonte de renda para famílias, inclusive em períodos de estiagem e entressafra de grãos.

Tendo 75% do seu re­torno de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) no campo, princi­palmente, com a produção de frangos, fumo, suínos e leite, o município vê cres­cer, gradativamente, as plantações de pepino para conserva. Depois que uma agroindústria de conservas iniciou a compra do produto no ano passado, a atividade se tornou uma alternativa de renda para famílias que vivem no meio rural. A agroindústria de Conservas Bergmann compra tudo o que é cultivado no municí­pio e necessita buscar parte da matéria-prima em outros municípios da região.

Soja e milho perdem espaço

A família Kremer é estrean­te na atividade. As lavouras de soja e milho deram lugar para os pepinos, tendo 4,5 mil pés cultivados. A previ­são é de colher em torno de 13 toneladas nesta safra. Cada quilo, com comprador garantido, é negociado entre R$ 1,50 e 3,50. “Em função das enxurradas, o produto está faltando no mercado, e o preço aumentou 150%”, comemora Iane.

Conforme Astor, a ideia é investir em outras cultu­ras, como repolho, cenoura, couve-flor, alface e beterraba. “Produzimos tudo sem agro­tóxicos. É uma particularidade que hoje conquista mais clien­tes”, comenta.

As pragas e doenças que causavam prejuízos foram controladas com uma receita familiar que passa por ge­rações. Com um recipiente com água, uma lâmpada e um prato com melado, o pro­dutor consegue capturar boa parte dos insetos que causam danos à lavoura durante a noite. “É uma solução de bai­xo custo e eficaz que reduz em quase 90% as perdas na produtividade”, destaca.

Saiba mais

O cultivo do pepino ocorre em curto período. Estima-se que, em clima de pouca chuva, sejam necessários 45 dias desde a semeadura até a colheita.

As plantas chegam a atingir 2 metros de altura. Cada uma produz 1 quilo do fruto em média. Uma particularidade pode ser observada nas plantas, os frutos surgem antes das flores e levam apenas quatro dias para atingir o tamanho ideal.

O mercado prefere e paga mais pelos pepinos que atin­girem até 15 centímetros. Eles são considerados melhores para o envazamento.