Vencedora de licitação para central de polícia deve ser conhecida neste mês

LAJEADO

Vencedora de licitação para central de polícia deve ser conhecida neste mês

Seis propostas são analisadas. Bairro São Cristóvão será contemplado com as instalações

Por

Vencedora de licitação para central de polícia deve ser conhecida neste mês
Shana Luft Hartz, delegada Regional de Polícia Civil (Foto: Paulo Cardoso)
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

A Polícia Civil de Lajeado impactada de forma severa pelas enchentes foi “obrigada” a mudar de endereço. Em setembro do ano passado, a água chegou até o segundo andar, na rua João Abbott e, em maio deste ano, o nível passou do segundo pavimento. Atingiu 1,7m do terceiro andar, o que ocasionou perda total dos itens armazenados no prédio. 

Conforme a delegada Regional de Polícia Civil, Shana Luft Hartz, a ideia era não voltar pós-enchente de setembro. Porém, o Estado, após análise, chegou à conclusão de que o prédio não apresentava danos estruturais. Sendo assim, os trabalhos foram retomados. 

“O sistema elétrico estava todo comprometido, além do registro de princípio de incêndio na estrutura antiga da energia. Desta vez, sem condições mínimas de retorno, a ordem era de saída. As condições psicológicas dos profissionais de voltar a trabalhar naquele local, a insegurança da população e, por isso, foi providenciada a mudança.”  

De forma provisória, o atendimento dos serviços da Polícia civil funciona na sede da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), localizada na Avenida dos Quinze, no bairro Florestal, de forma conjunta a outros departamentos. “Um novo local é buscado. O primeiro requisito é ficar longe do risco de novos alagamentos.” 

Nova Central de Polícia Civil 

O projeto para a construção da Central de Polícia está em processo de licitação após concorrência pública ser adiada por duas vezes. A obra orçada é de R$ 11 milhões. “É um trâmite lento de execução. Tivemos o primeiro edital de licitação em 9 de novembro que acabou sendo impugnado devido a questões técnicas. Foi remarcada para maio, mas devido à enchente, acabou atrasando. No final de junho foi realizado o edital e seis concorrentes participaram”. Agora, segue em análise das propostas e, dentro do mês de julho, deve ser definida a empresa vencedora para iniciar a construção da nova sede, obra que deve levar, em média, três anos. 

Quatro serviços sendo a Delegacia Regional, Delegacia de Polícia de Lajeado, Pronto-Atendimento e Delegacia de Atendimento à Mulher vão atender na rua 11 de Julho, no bairro São Cristóvão, na antiga sede da Universidade Anhanguera. Shana esclarece que o prédio está em fase de adaptação e ajustes para receber as quatro delegacias. A delegacia de pronto-atendimento vai funcionar no mesmo complexo, mas com entrada pela rua lateral, na rua Paul Oppliger.  

“Essa obra está em fase mais atrasada do que as outras três e deve ser concluída em até três meses.” Enquanto isso, a delegacia de pronto-atendimento continua com atendimento junto à Draco. “Os serviços à população para registros de ocorrências, confecções de flagrantes vão continuar na Draco até concluir as reformas estruturais necessárias no novo prédio que está sendo alugado, no São Cristóvão.”

Delegacias atingidas pelas enchentes 

As demais delegacias de outros municípios impactados como, por exemplo, a unidade de Arroio do Meio e Roca Sales, já haviam sido transferidas para outros bairros não sendo atingidas desta vez. Já a de Muçum, mesmo localizada em região alta, foi danificada devido à chuva de granizo ocorrida em agosto do ano passado. Feita reforma provisória e em maio, a estrutura foi novamente danificada. Segundo Shana, em Arroio do Meio, havia a previsão para a construção de uma nova sede, no bairro Medianeira, projeto conjunto da Polícia Civil e Brigada Militar. Porém, o terreno foi alagado. Está em tramitação a busca por uma nova área não alagável para a execução da obra. 

As unidades de Encantado e Estrela também foram afetadas. “As duas são sedes próprias, o que demanda uma maior dificuldade para a mudança de local e construção de novas unidades, mas por determinação da chefia, espaços estão sendo buscados.”

Mesmo com todas as dificuldades enfrentadas, o índice de criminalidade registrou queda nos crimes violentos letais intencionais, em Lajeado. “Todo o Vale do Taquari está com índice positivo, com indicador em queda ou bem abaixo de uma média estadual”. Em maio, apenas um homicídio foi registrado, em Lajeado. Já o mês de junho fechou com nenhum registro. “Dado que merece ser comemorado.”

Acompanhe a entrevista na íntegra

Acompanhe
nossas
redes sociais