Coworking une compartilhamento e privacidade em Teutônia

Opinião

Thiago Maurique

Thiago Maurique

Jornalista

Coluna publicada no caderno Negócios em Pauta.

Coworking une compartilhamento e privacidade em Teutônia

Por

Sócios das empresas Marcauten e Brunetto & Christ, Camila Brunetto e Vinícius Christ inauguraram na noite de terça-feira o Teuto Work. Localizado na principal na avenida 1 Leste, a principal de Teutônia, o local tem 250 metros quadrados, oferece espaços compartilhados e privativos, com flexibilidade, mobilidade e conforto.

Conforme Camila, a proposta surgiu a partir da necessidade do casal – os dois trabalham juntos em duas empresas diferentes. Ao encontrarem a sala, próxima dos principais órgãos públicos da cidade, eles decidiram criar um espaço compartilhado para profissionais com necessidades semelhantes.

“Criamos um ambiente climatizado, com água e café sempre disponível, e a possibilidade de alugar por hora, turno ou salas privativas mensais”, destaca. O Teuto Work também tem sala de reunião com espera separada e recepcionista, sala multiuso para treinamentos, workshops e eventos com até 30 pessoas, mesa de dinâmicas e espaço para coffee break.

Outro diferencial do espaço são duas cabines telefônicas que garantem a privacidade em ligações ou videochamadas. “Pensamos nosso coworking como um espaço colaborativo que inspira a criatividade, facilite a inovação e impulsione o crescimento profissional pessoal de todos os frequentadores.”

Sicoob conquista três prêmios do BNDES

O Sicoob alcançou a primeira colocação na categoria “Baixo Carbono” na premiação anual do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O sistema de cooperativo foi reconhecido em outras duas categorias no ranking de agentes financeiros do BNDES: Atendimento ao Cliente e Valor Total Apoiado.

A conquista da primeira colocação na categoria “Baixo Carbono” destaca a dedicação do Sicoob à preservação ambiental e ao desenvolvimento sustentável. Na categoria “Atendimento ao Cliente”, o Sicoob alcançou a 2ª colocação, refletindo o compromisso da instituição com a qualidade e a proximidade no atendimento. O Sicoob também se destacou na categoria “Valor Total Apoiado pelo BNDES”, alcançando a 3ª colocação.

Baldo recebe selo de energia limpa

Uma das empresas mais tradicionais da região alta do Vale do Taquari, a Baldo, de Encantado, recebeu o Selo Perfil Energia + Limpa. A distinção comprova que a empresa deixou de emitir 333,202 toneladas de dióxido de carbono a partir da compra de energia proveniente de fontes renováveis no Ambiente de Contratação Livre (ACL). O número equivale ao plantio de 15.144 árvores.

O certificado atende aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável compromissados com a Agenda 2030 da ONU. Em nota, a empresa reafirma como principal missão produzir soluções que utilizem os recursos de maneira sustentável. “É nisso que acreditamos. Juntos, faremos do nosso meio um ambiente melhor para se viver.”

RÁPIDAS

  • Treinamento em vendas – A CDL Lajeado abriu inscrições para o treinamento “Reset08: Reaprenda seu jeito de vender com novas ferramentas e metodologia focada no processo”. A atividade está programadas para o dia 17 de julho, das 19h às 22h, no auditório da CDL Lajeado. O investimento é de R$ 139 até o dia 30 de junho e R$ 159 após a data. Associados da CDL Lajeado têm 20% de desconto. Mais informações e reservas por meio do whatsapp 51 99789-7157 ou pelo e-mail comercial@cdl-lajeado.com.br.
  • Impactos no agro – A “Pesquisa de Impacto das Enchentes no RS”, desenvolvida pelo Sebrae RS e Governo do Estado, obteve resposta de 672 empreendedores rurais. Desses quase 52% revelaram perda parcial da produção agrícola. Outros 42% tiveram danos na infraestrutura da propriedade e 16% informaram perda de animais. Quase 13% admitiram perda total da produção agrícola, e apenas 15% disseram que não sofreram qualquer impacto.

Frase do dia

João Zeni, Diretor de Sustentabilidade da Eletrolux América Latina, em entrevista para a Coluna Ecoa do portal UOL

“A chave do ESG está na inovação. Os produtos devem ter mais do que eficiência energética e hídrica, usar menos matéria-prima e priorizar materiais de baixo impacto. Eles devem ser inteligentes também. Para que o ciclo se feche, precisamos engajar o consumidor.” – João Zeni

Acompanhe
nossas
redes sociais