Corsan perfura poços artesianos fora de áreas de alagamento

ESTRELA

Corsan perfura poços artesianos fora de áreas de alagamento

Localização assegura que as estruturas continuem operacionais mesmo durante enchentes

Por

Corsan perfura poços artesianos fora de áreas de alagamento
Município projeta ao menos oito novos poços artesianos. (Crédito: Giovane Souza/divulgação)
Estrela
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

A Corsan/Aegea iniciou mais uma etapa de perfuração de novos poços artesianos em Estrela, em uma iniciativa estratégica para garantir o abastecimento de água à população e diminuir os impactos nos períodos de enchentes, mas também de secas. Obras ocorrem em locais fora das áreas de alagamento, cedidas pelo Governo de Estrela, visando aumentar a segurança e a sustentabilidade do fornecimento de água, especialmente em períodos de chuvas intensas e enchentes, que se tornaram mais constantes nos últimos anos. Atualmente, Estrela possui 19 poços artesianos, dos quais 18 estão operacionais. Ao menos outros oito serão perfurados. Os valores investidos pela Corsan/Aegea não foram divulgados.

A ação da Corsan é mais uma em resposta às exigências e pressão do Governo Municipal frente aos desafios enfrentados pela cidade, principalmente em épocas de alagamento, quando a qualidade e a disponibilidade de água potável podem ser comprometidas, assim como em períodos de seca. Em Estrela o desafio é ainda maior pois atende a uma exigência do município justamente visando a qualidade da água: que essa seja oriunda de poços artesianos, e não de rios e arroios, entre estes o Rio Taquari.

A falta de investimentos nas últimas décadas, entre estes a perfuração de novos poços artesianos a fim de atender a demanda e a troca de tubulações, ficou mais evidente nos últimos anos com a expansão da cidade, crescimento da demanda e consequentes interrupções no abastecimento de água, principalmente nos períodos de enchente. Dos 19 poços artesianos,18 estão operacionais. Na enchente de maio, 9 desses poços ficaram alagados, destacando a necessidade de novas fontes de água em áreas seguras.

Planejamento e Execução

Outras estruturas estão recebendo melhorias (foto: Corsan)

Durante a atual gestão, três novos poços já foram perfurados em áreas fora do alcance das enchentes: nos bairros Boa União, Pinheiros e Auxiliadora. Esta semana, a Corsan iniciou uma força-tarefa para a perfuração de oito novos poços em áreas não alagáveis, cedidas pelo governo local, com duas equipes dedicadas a essa missão. As perfurações começaram nesta quarta-feira, 19. O primeiro na área conhecida como Belvedere, na Rua Arnaldo José Diel. Outro deve ser iniciado no bairro Auxiliadora. “Perfurar poços não é se ter a garantia do fornecimento, nem termos uma previsão do crescimento da oferta de água. É preciso analisar o lençol de água, qualidade, vazão e tudo mais. Não se descarta que seja preciso buscar mais áreas”, explica Eduardo Paolazzi, gerente da Corsan.

Ainda assim, a expectativa é positiva. “Nosso objetivo é assegurar um abastecimento de água contínuo e de qualidade, independentemente das condições climáticas. Claro que pelos últimos acontecimentos se evidencia a questão da água nos períodos de enchente, mas não podemos esquecer daqueles momentos, e não foram poucos, onde a estiagem também prejudica o abastecimento. Por isso a importância de termos novas fontes. Os primeiros vamos buscar nestas áreas indicadas pelo Executivo, pois nem todo local é próprio. E quanto mais longe dos leitos, ou áreas altas, mais difícil fica”, explica o gerente. Cada poço leva entre quatro ou cinco dias para ser perfurado.

Vantagens

A localização fora das áreas de alagamento assegura que os poços continuem operacionais mesmo durante enchentes. A profundidade dos poços também garante a captação de água de alta qualidade, reduzindo a necessidade de tratamento intensivo. E a utilização de poços ajuda a preservar as reservas superficiais de água e a equilibrar o uso dos recursos hídricos locais.

Além da perfuração de novos poços, a Corsan está implementando medidas para reduzir as perdas no sistema de abastecimento. Este trabalho inclui a instalação de válvulas redutoras de pressão, ventosas e a substituição de redes em pontos estratégicos, visando diminuir as intervenções por vazamentos. Ainda a construção de abrigos em poços já existentes, o que reflete em maior segurança e agilidade quando necessárias intervenções. Também trabalha na construção e centralização do novo centro operacional da Corsan na Rua Pernambuco, próximo aos Bombeiros.

Acompanhe
nossas
redes sociais