“Ser parte da corte não é um prêmio, e sim, um trabalho voluntário”

ABRE ASPAS

“Ser parte da corte não é um prêmio, e sim, um trabalho voluntário”

Vanessa Luise Fell, 28, alcançou o título de 2ª princesa da Expovale 2024, representando a cidade de Estrela. Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Univates, sua trajetória é marcada pelo envolvimento em concursos desde os 8 anos, quando foi eleita “Garotinha Vidal”

Por

Atualizado sexta-feira,
14 de Junho de 2024 às 11:25

“Ser parte da corte não é um prêmio, e sim, um trabalho voluntário”
2ª princesa da Expovale 2024, Vanessa Luise Fell. Foto: Daniély Schwambach
Estrela
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

De onde surgiu o seu interesse em ser uma das representantes da Expovale?

Sempre gostei de participar de concursos, desde a minha adolescência eu participai de vários na região. O que sempre me motivou, foi a ideia de representar as coisas que eu amo, por exemplo, sou dançarina do Chucrute e fui rainha em 2017. Como não temos um concurso próprio de Estrela, eu pensei na Expovale, onde eu posso representar Estrela, cidade que eu tenho tanto carinho.

Quais foram os maiores desafio durante o processo de preparação?

Eu acho que o maior desafio foi conseguir manter um clima amigável entre todas as candidatas. É um ambiente onde sabemos que existe a competição, mas não podemos nos esquecer que todas nós estamos ali por um mesmo objetivo, representar da melhor forma possível nossa cidade e o Vale. E além disso, é muito importante tu saber lidar com o teu psicológico, conseguir aceitar as críticas e analisar as situações.

Como está a sua expectativa para o evento e para o seu futuro como princesa?

É uma expetativa muito alta, estamos muito ansiosas para começar a divulgação da festa. No momento, estamos finalizando os trajes oficiais. Apesar de tudo que o Vale passou, estamos muito ansiosas para visitar os 36 municípios. Sabemos que o cenário não será um dos melhores, mas essa movimentação é importante para nós, é uma forma de demonstrar que torcemos para que todos se reergam logo, mais fortes e mais unidos.

O que você diria para as meninas que também tem interesse em fazer parte da corte?

Durante o processo, o mais importante é você realmente querer aquilo. Eu sempre digo que ser parte da corte não é um prêmio, e sim, um trabalho voluntário, porque as meninas se dispõem a fazer esse trabalho e se dedicam 100%. Acreditem em si mesmas e estudem muito, vocês estarão representando o Vale.

O que você diria para a Vanessa criança, que já cultivava o sonho de participar dos concursos?

Eu diria que conseguimos atingir todos nossos sonhos. Na chegada dos meus 28 anos sou muito feliz e realizada por tudo que fiz, e o que mais acalenta o meu coração, é que não me arrependo de nada que tenha feito até hoje. Somos muito felizes, principalmente por ter conseguido dar orgulho aos nossos pais.

Acompanhe
nossas
redes sociais