Marques de Souza e Travesseiro inauguram pinguela nesta sexta-feira

travessia de pedestres

Marques de Souza e Travesseiro inauguram pinguela nesta sexta-feira

Em paralelo, Exército remove as passadeiras para travessia de pedestres. A partir da liberação da pinguela, a operação será encerrada

Por

Marques de Souza e Travesseiro inauguram pinguela nesta sexta-feira
Foto: Bibiana Faleiro
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Uma nova ponte pênsil será inaugurada às 16h desta sexta-feira, 14, para a travessia de pedestres entre Marques de Souza e Travesseiro, após a antiga estrutura ter sido arrancada pela enchente que devastou a região. O projeto é essencial para garantir a segurança dos moradores e restabelecer a ligação das cidades, que ficaram isoladas devido ao desastre natural no início de maio.

Em paralelo, o Exército remove as passadeiras para travessia de pedestres. A partir da liberação da pinguela, a operação será encerrada. Antes disso, na sexta-feira, ainda é possível atravessar de bote.

A obra, que custou aos municípios um total de R$ 120 mil, teve seu valor dividido igualmente entre as duas administrações. O projeto foi aprovado em ambas as câmaras de vereadores. A nova ponte possui 110 metros de extensão por 1,20 metros de largura, sendo adequada para a passagem segura de pedestres.

Segundo o prefeito de Marques de Souza, Fábio Alex Mertz, a nova estrutura não apenas permitirá o acesso ao trabalho e a serviços essenciais, mas também restabelecerá a mobilidade e a rotina dos moradores da região afetada. “A interrupção causada pela força das águas trouxe grandes desafios, mas a rápida construção da pinguela demonstra o comprometimento em restaurar a normalidade”, afirmou Mertz.

Passadeiras são removidas pelo Exército (Foto: divulgação)

Apesar da construção da ponte pênsil, o trabalho continua. As administrações de ambos os municípios estão empenhadas em conseguir recursos adicionais para reconstruir a passagem de veículos e caminhões, visando uma recuperação completa da infraestrutura local. O orçamento pode superar os R$ 15 milhões.
Até que isso ocorra, a única rota alternativa mais curta para chegar a Travesseiro é por Barra do Fão, um trajeto de 40 quilômetros.

Acompanhe
nossas
redes sociais