Grupo Scapini constrói casas para auxiliar funcionários atingidos pelas cheias

Vale que dá Certo

Grupo Scapini constrói casas para auxiliar funcionários atingidos pelas cheias

Mesmo com prejuízo estimado em R$ 13,8 milhões, grupo fomenta parcerias estratégicas para manter suas operações ativas e oferecer suporte à comunidade

Por

Atualizado sexta-feira,
14 de Junho de 2024 às 11:31

Grupo Scapini constrói casas para auxiliar funcionários atingidos pelas cheias
Lucas Scapini, CEO do Grupo Scapini e diretor da Fetransul (Foto: Rodrigo Gallas)
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

O Grupo Scapini sofreu um impacto significativo com as recentes cheias no Rio Grande do Sul e acumulou um prejuízo estimado de R$ 13,8 milhões. Apesar dos desafios, o grupo demonstra resiliência e um forte compromisso com as equipes e comunidade. A exemplo, fomenta parcerias estratégicas para manter suas operações ativas e oferecer suporte para reconstrução de lares.

Composto pelas empresas Scapini Transportes, Translíquidos e 365 Log, o Grupo Scapini possui mais de 1100 funcionários, dos quais 40 perderam suas casas e outros 37 foram afetados de forma parcial. “Junto com dois parceiros, vamos dar a oportunidade de reconstruir os lares, para essas pessoas que perderam tudo”, conta o CEO do grupo e diretor da Fetransul, Lucas Scapini. “Não será uma mansão, mas é uma casa de camping estruturada”.

Para auxiliar todos colaboradores, o Grupo Scapini ainda dobrou o vale-alimentação, disponibilizou um orçamento extraordinário para garantir suporte às equipes nos próximos três meses e colabora para facilitar o acesso dos funcionários aos benefícios propostos pelo governo.

“O lucro é importante sim, mas a responsabilidade social anda lado a lado das empresas. O Grupo Scapini não medirá esforços para ajudar a nossa gente da melhor maneira possível “, ressaltou o CEO.

Impacto nas estruturas do Grupo Scapini

As estruturas físicas das empresas do grupo também foram danificadas com as cheias. A Scapini Transportes foi a menos afetada, o que permitiu manter a produtividade e eficiência logística. No entanto, a 365 Log, especializada em tecnologia logística e com o centro de distribuição localizado em Porto Alegre, ficou com o segundo andar submerso.

“Tínhamos mais de oito milhões de produtos dos nossos clientes. Estamos trabalhando com a corretora, seguradora e os clientes para minimizar os impactos, mas ainda não temos novidades”, lamenta Scapini.

Os prejuízos da Translíquidos ultrapassam a marca dos R$3 milhões, uma vez que o complexo foi completamente atingido. “Hoje, estamos provisoriamente em um escritório de Canoas, justamente para dar continuidade nas empresas”, reforça o CEO, que destaca a solidariedade do setor.

Apesar dos desafios, Scapini acredita que o ano será promissor. Desde 2016, o Grupo Scapini se destaca no segmento pelo crescimento médio anual que chega a 15%.

Veja a entrevista completa do CEO do Grupo Scapini

Acompanhe
nossas
redes sociais