Vereador renuncia após acusação de assédio sexual

POLÍTICA

Vereador renuncia após acusação de assédio sexual

Servidora do município acusa João Carissimi (PDT) de crime sexual. Fatos teriam acontecido quando ele respondia pela Secretaria Municipal de Saúde

Por

Vereador renuncia após acusação de assédio sexual
João Carissimi (PDT) renunciou ao cargo de vereador. Ele responde na Justiça por suspeita de assédio sexual a uma servidora quando ele respondia pela Secretaria de Saúde de Boqueirão do Leão. (ARQUIVO)
Boqueirão do Leão

O ex-secretário de Saúde, vereador da base aliada do governo de Boqueirão do Leão, João Rogério Carissimi (PDT), entregou a carta de renúncia para a mesa diretora do legislativo municipal.

A saída do parlamentar foi informada à comunidade na sessão da noite dessa terça-feira, 11 de junho. O motivo tem relação com a denúncia de assédio sexual por parte de uma servidora municipal.

A mulher registrou o fato na Polícia Civil. No fim deste mês, entregou uma carta com dez páginas para a câmara de vereadores, onde exige a cassação do mandato do vereador por quebra de decoro.

Detalhes da acusação

Pelo depoimento à polícia, por volta das 10h do dia 1º de março do ano passado, a servidora contatou o parlamentar, na época secretário de Saúde de Boqueirão do Leão, para solicitar a assinatura dele em documentos relacionados ao estágio supervisionado que fazia.

Carissimi informou a sala em que estaria e pediu à mulher para ir até ele. Pelo relato da vítima, após assinar, o secretário teria avançado sobre ela, abraçando ela pelas costas e a beijando no pescoço.

Horas depois, a mulher recebeu um pedido de desculpas por mensagem de WhatsApp e um áudio, apagado logo em seguida. Os detalhes da conversa foram apresentados à polícia e na carta entregue à Casa Legislativa.

No dia seguinte, a servidora afirma ter procurado o vice-prefeito para relatar os fatos. Ouviu que providências seriam adotadas. Passado um ano, nenhum processo administrativo disciplinar foi aberto.

O vereador responde por importunação sexual. O crime, previsto no artigo 215 do Código Penal, prevê prisão de um a cinco anos.

“Estou tranquilo, não cometi crime algum”

Por meio de comunicado direcionado à reportagem, o vereador João Carissimi diz que: “o motivo da minha renúncia é por questão de existir uma situação para se resolver na Justiça Criminal.

A câmara de vereadores é composta por maioria de opositores, então optei pela renúncia por questão política, poderia eu ser cassado por vontade política e não por Justiça. No judiciário estou respondendo a mesma acusação. Estou muito tranquilo, pois não cometi crime algum”, escreve.

Acompanhe
nossas
redes sociais