Troca em secretaria estadual pode colocar Scorsatto na Assembleia

POLÍTICA

Troca em secretaria estadual pode colocar Scorsatto na Assembleia

Ex-prefeito de Arvorezinha somou 18.214 votos na eleição de 2022 e ficou com a segunda suplência do PDT

Por

Atualizado sexta-feira,
14 de Junho de 2024 às 22:45

Troca em secretaria estadual pode colocar Scorsatto na Assembleia
Vale do Taquari

Substituições na equipe de secretários do governador Eduardo Leite e as eleições de 2024 podem ampliar a representatividade do Vale do Taquari na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, com a entrada de José Odair Scorsatto na bancada do PDT. O atual coordenador das agências Fgtas/Sine revelou expectativa positiva para assumir a função durante entrevista ao Conexão Regional da Rádio A Hora, nesta quinta-feira, 13.

O parlamentar Eduardo Loureiro pode deixar sua vaga na ALRS para assumir o posto de secretário estadual de Turismo. As negociações iniciaram ainda antes da enchente e atendem a um pedido do partido de maior espaço dentro do governo Leite.

Com a mudança, a cadeira ficaria com Tiago Cadó, que é pré-candidato a prefeito em São Borja. Se for eleito, libera vaga para Scorsatto, que somou 18.214 votos em 2022.

“Estamos em conversa, mas o foco principal é a recuperação do Rio Grande do Sul. Vamos esperar serem concluídas as eleições municipais e como há uma boa expectativa encima do Cadó em São Borja, podemos herdar essa vaga”, projeta.

Scorsatto é coordenador regional do PDT. Segundo ele, há uma estimativa de ampliar de 48 para 60 o número de vereadores eleitos no Vale do Taquari além de manter a representatividade no Executivo, onde a sigla tem cinco prefeitos em mandato.

Seis mil vagas de trabalho no RS

Sobre as atividades ligadas a agência Fgtas do Rio Grande do Sul, Scorsatto explica que havia um temor quanto as oportunidades de trabalho após a enchente. Contudo, o cenário é de manutenção dos empregos e atividades das empresas. São cerca de seis vagas registradas no estado. “Teremos um aumento grande de oportunidades na construção civil, com esse cenário das construções de moradias. É um setor que terá possibilidades”, analisa.

Assista a entrevista completa:

Acompanhe
nossas
redes sociais