Polícia Civil deixa o Centro em definitivo e prepara mudança para o São Cristóvão

SEGURANÇA

Polícia Civil deixa o Centro em definitivo e prepara mudança para o São Cristóvão

Depois de três grandes inundações desde setembro, delegacias serão remanejadas para área mais segura. Em paralelo, licitação para construção da nova sede está agendada para o dia 24 deste mês

Por

Atualizado segunda-feira,
24 de Junho de 2024 às 09:01

Polícia Civil deixa o Centro em definitivo e prepara mudança para o São Cristóvão
Servidores fazem força-tarefa para recuperar equipamentos atingidos pela enchente, como os computadores.(FOTOS: MATEUS SOUZA)
Lajeado

Após mais de quatro décadas de atendimentos e três grandes enchentes num período de oito meses, o prédio da Polícia Civil de Lajeado, no Centro da cidade, vai fechar as portas. As quatro delegacias que atuam no local serão realocadas para um imóvel alugado no bairro São Cristóvão. A perspectiva é de que as atividades no novo endereço iniciem em julho.

A mudança era cogitada desde a cheia de setembro, que chegou até o segundo andar na sede da Polícia, na rua João Batista de Mello. No entanto, após laudo do Estado, foi permitido o retorno. Desta vez, conforme a delegada regional de Polícia, Shana Luft Hartz, não há mais condições de retomar os trabalhos no local.

Quase todo o prédio ficou submerso na enchente histórica do começo de maio. As águas chegaram ao terceiro andar, algo inédito até então. “Dá outra vez, já pensávamos em não retornar. Mas foi feita uma análise técnica pelo Estado. E não havia uma previsibilidade de uma nova enchente tão grande em tão pouco tempo. Agora não tem como voltar”, recorda.

Prédio no Centro não apresenta mais condições de uso

O contrato de locação está em vias de ser assinado. “Toda a documentação já está em Porto Alegre. Estamos aguardando a finalização dos trâmites para fazermos uma reforma breve no prédio e efetuar a mudança”, explica Shana, que não revelou o local exato para onde a Polícia vai se mudar dentro do bairro.

Critérios

O primeiro critério de escolha do imóvel é o de não pegar enchente. “E o segundo, de ter condições de comportar a estrutura quatro delegacias”, ressalta a delegada. Hoje, todas atendem provisoriamente no imóvel – também alugado – onde funciona a Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), no bairro Florestal.

A tendência é de que a Delegacia de Polícia (DP), a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) e a 19ª Delegacia de Polícia Regional do Interior se mudem assim que a nova sede estiver apta a receber os servidores. Já a Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) ficará no bairro Florestal até que as obras necessárias sejam executadas, pois as adequações são mais complexas.

Licitação à futura sede

Em paralelo à troca de endereço, a Polícia Civil está na expectativa da construção da futura sede, também no bairro São Cristóvão, no cruzamento das ruas Coelho Neto e Fábio Brito de Azambuja. A licitação, que havia sido adiada duas vezes no fim de 2023 e suspensa em maio, em virtude da inundação em Porto Alegre, foi reagendada para o dia 24 de junho.

“Como agora o Estado vai pagar aluguel, acredito que haverá um interesse ainda maior na execução dessa obra. Acreditamos que a construção leve pelo menos uns dois anos, pois é um prédio grande, com quatro pavimentos”, frisa Shana. Pelo edital de licitação lançado pelo governo gaúcho, a obra deve custar até R$ 10,9 milhões.

E O PRÉDIO NO CENTRO?

Fechado desde o dia 30 de abril, quando começou a ser inundado, o prédio da Polícia Civil, que é de propriedade do Estado, tem destinação incerta. Conforme a negociação entre governos de Lajeado e do RS para a construção da nova sede, o imóvel deve ser incorporado pelo município. Em entrevistas no ano passado, o prefeito Marcelo Caumo ressaltou a intenção de aproveitar a área alagável para ampliar o Parque dos Dick.

Acompanhe
nossas
redes sociais