“Lidar com pessoas é uma das essências do sucesso”

“O Meu Negócio”

“Lidar com pessoas é uma das essências do sucesso”

Colégio Teutônia investe na integração entre educação e mercado de trabalho para formar líderes do futuro. Gestores abordaram o tema no programa

Por

“Lidar com pessoas é uma das essências do sucesso”
Márcio Mügge, assessor de projetos do CT e Mauro Nüske, diretor do Colégio Teutônia. (Foto: Deivid Tirp)

A combinação da formação técnica com habilidades interpessoais tornou-se essencial para o sucesso no mercado de trabalho. Nas salas de aula, essa integração ganha destaque, em especial quando se trata de preparar os jovens para empreender. Contudo, para que essa sinergia funcione, o diretor do Colégio Teutônia, Mauro Nüske, e o assessor de projetos, Márcio Mügge, ressaltam a importância de estreitar as relações entre escolas, empresas e comunidade.

O Colégio Teutônia foi fundado em 1952 com o objetivo de capacitar os filhos de imigrantes e atuar nas propriedades e dar sequência às atividades rurais. Com o passar do tempo, a escola se consolidou e hoje é uma referência na qualificação profissional, não só no Vale do Taquari, mas em todo o estado.

Tal reconhecimento se deve à dedicação do colégio em acompanhar as tendências do mercado de trabalho, e preparar os jovens para se destacarem em qualquer oportunidade. Para tanto, o diretor ressalta que a escola tem o compromisso de estender suas relações para além do ambiente escolar, integrando as famílias, comunidade, instituições, empresas e cooperativas.

“Ou seja, olhamos para tudo aquilo que compõem um município. Percebemos que é possível crescer quando todos atuam em sintonia. Lidar com pessoas é uma das essências do sucesso”, afirma Nüske.

Outro passo importante para essa conexão da educação com o mercado de trabalho, é a experiência dos docentes, que compartilham suas vivências dentro da sala de aula. “Todos nossos professores trabalham fora da instituição. São profissionais que atuam nas mais variadas atividades e, em um turno extra, vêm à escola para lecionar nos cursos”, complementa Mügge.

Além disso, a parceria com empresas locais, faz com que os alunos possam testar na prática o que aprendem dentro da sala de aula.

Do berçário ao ensino técnico

O Colégio Teutônia incentiva seus alunos a explorarem suas habilidades desde cedo. Para isso, oferece atividades esportivas e culturais nos turnos complementares, o que promove o desenvolvimento integral dos estudantes.

Segundo o diretor, hoje, a maioria dos 700 alunos da educação básica estão matriculados em atividades extraclasse. “Temos música, atletismo, robóticos e várias outras atividades para além da sala de aula”.

O Colégio Teutônia conta com mais de mil alunos e atua desde o berçário até o ensino técnico, nas áreas de agropecuária, administração, eletrotécnica e eletromecânica. O complexo escolar localiza-se no bairro Teutônia, em uma área de 80.000 m2. A escola possui laboratórios, salas para atividades complementares, bibliotecas e ambientes de apoio.

O bate-papo completo sobre o Colégio Teutônia pode ser conferido no QR Code desta página. O programa “O Meu Negócio” é transmitido ao vivo nas segundas-feiras, na Rádio A Hora 102.9 e nas plataformas digitais. Tem o patrocínio de Motomecânica, Kappel Imóveis, Black Contabilidade, Marcauten, Grupo Zagonel, A Mobília Lajeado, Dale Carnegie, Sunday Village Care, 3F1B Móveis Estratégicos e STW Automações.

A arte de lidar com pessoas
Jamil Albuquerque

Este livro mostra como transformar a inteligência interpessoal em uma grande vantagem competitiva. “A arte de lidar com pessoas” revela como maximizar resultados por meio do simples, que é o caminho mais curto para ser fundamental.

O livro mostra que ao colocarmos coisas óbvias em prática, encontramos grandes resultados e o óbvio torna-se extraordinário. Embora o leitor possa pensar “isso eu já sabia”, ao refletir na sua capacidade de transformar informação em conhecimento, perceberá que saber “o quê” é bem diferente de saber “como”.

 

 

 

 

Entrevista
Mauro Nüske • Diretor do Colégio Teutônia
Márcio Mügge • Assessor de Projetos do Colégio Teutônia

“Oferecemos a vaga e se percebe que todos estão empregados”

Wink – A comunidade de Teutônia sempre abraçou o Colégio Teutônia

Mauro – Isso é verdade, quando eu vim para cá percebi muito isso. Tanto que a gente procura estar presente em tudo que é possível porque a comunidade também espera que o colégio esteja presente.

Wink – Márcio, você esteve um tempo fora da instituição. Com o seu retorno, o que traz de novo para a instituição?

Márcio – A escola tem essa educação forte de estar conectado  com o mercado de trabalho. Por causa disso, oferece vários cursos técnicos. Eu tive uma passagem na instituição, trabalhei na escola por 22 anos como professor, coordenador e outras várias funções. Quando eu saí, atuei dentro do cenário público, como secretário de agricultura e meio ambiente de Teutônia. Depois, atuei na gestão de uma concessionária de máquinas agrícolas. Então, essa conexão com o mercado, onde existe uma profundidade maior na lida com o cliente e com o setor do agro, estou levando para a instituição.

Wink – Na pesquisa RUMO, idealizada pelo Grupo A Hora, ficou nítido que existe um distanciamento entre a expectativa dos jovens e a do empreendedor. Na visão de vocês, os jovens que saem do Colégio Teutônia e os empreendedores estão mais próximos ou também precisam construir uma ponte?

Mauro – Acredito que está mais perto, pois trabalhamos questões de empreendedorismo, inovação e o aprender fazendo, desde cedo. Muitos jovens estão precisando ir para o mercado de trabalho, então também precisamos prepará-los para isso. Hoje temos percebido uma procura cada vez maior dos cursos técnicos, porque o mercado tem percebido que eles têm chegado preparados para assumir funções que, eventualmente, estudantes em outros níveis nem sempre estão prontos.

Márcio – Na nossa região (considerando os municípios de Estrela, Lajeado e Teutônia), antes de setembro do ano passado, tínhamos no mínimo vaga para 2 mil pessoas. A exemplo, na empresa onde eu trabalhava antes, sempre tínhamos cinco ou seis vagas. E esse é um desafio permanente em vários lugares. Com este fato, a gente percebe a importância da educação profissional dos cursos técnicos. No colégio, é muito difícil alguém terminar o curso técnico e já não estar atuando dentro do mercado para o qual a pessoa está se qualificando. Recebemos, diariamente, o contato de empresas e muitas vezes sentimos dificuldade para encontrar alunos, pois oferecemos a vaga e já se percebe que todos estão empregados.

Acompanhe
nossas
redes sociais