As pontes e as oportunidades

Opinião

Rodrigo Martini

Rodrigo Martini

Jornalista

Coluna aborda os bastidores da política regional e discussão de temas polêmicos

As pontes e as oportunidades

Por

As travessias de rios, vales e desfiladeiros foram cruciais para o desenvolvimento das cidades e as respectivas sociedades. E faz tempo. Muito tempo. Entre as pontes cuja data de construção pode ser calculada pelos especialistas, a mais velha é aquela que cruza o rio Meles, em Izmir, na Turquia, e que foi construída em 850 a.C., ou seja, há 2.867 anos. Nesses quase três mil anos, a importância das estruturas segue a mesma e o Vale do Taquari experimentou recentemente o gosto amargo da desconexão após as trágicas enchentes de maio.

Se alguém ainda tinha dúvidas acerca da relevância das pontes para a nossa rotina, não tenho dúvidas de que tais dúvidas foram levadas junto com a correnteza dos rios Taquari e Forqueta. Portanto, e a partir da destruição de muitas estruturas e a quase destruição de outras tantas, é momento de discutir com muito mais seriedade a construção de mais pontes sobre os rios Taquari e Forqueta, especialmente.

Para isso, porém, é preciso um olhar macro para que a vaidade de alguns não se sobreponha ao interesse coletivo de todo o Vale do Taquari. Afinal, os orçamentos são altos e dificilmente serão custeados pelos municípios. Logo, é preciso participação direta do Codevat, da Amvat, da Amat, da Avat, e, claro, da CIC/VT.

O MP e os aterros

Após denúncia sobre intervenção em área alágavel no bairro Hidráulica, mais precisamente na Rua das Margaridas, o Ministério Público de Lajeado encaminhou uma “recomendação” ao governo de Lajeado. O inquérito civil é conduzido pelo promotor de justiça Carlos Fiorioli e sugere que, “em atenção aos princípios ambientais da precaução e da prevenção”, a municipalidade “se abstenha de de deferir licenças e /ou autorizações de movimentação de solo e/ou elevação de cota de inundação na referida região, bem como para que suspenda eventuais autorizações/licenças concedidas para movimentação de solo e/ou elevação de cota de inundação e de igual modo se abstenha de emitir licença ou autorizações para novas obras”. Ainda de acordo com o agente do MP, o “desatendimento à presente Recomendação poderá implicar na adoção das medidas legais e judiciais cabíveis, objetivando-se, inclusive, a punição dos responsáveis, além da responsabilização civil por eventuais danos que ocorrerem”.

Quase um século de histórias

A Ponte de Ferro entre Arroio do Meio e Lajeado foi construída entre 1927 e 1939. Nesse intervalo, a obra ficou suspensa por alguns anos em função da falta de recursos por parte do Estado (quem diria…). Mesmo com percalços, a inauguração oficial ocorreu em 16 de julho de 1939. Na imagem antiga, um grupo de trabalhadores responsáveis pela primeira façanha. Ao lado deles, em uma imagem colorida e atual, uma parte do grupo de voluntários da iniciativa privada que, assim como os pioneiros, também cravaram seus nomes na história com a reconstrução deste verdadeiro cartão-postal do Vale do Taquari em junho de 2024. E, diante de tantos marcos históricos, é impossível aceitar qualquer proposta de demolição desta importante travessia sobre o Rio Forqueta.

Maus-tratos aos animais (e as multas)

Em resposta ao ofício encaminhado pela vereadora Ana da Apama (PP), o governo de Lajeado – por meio da Secretaria de Meio Ambiente, Saneamento e Sustentabilidade – informa que, conforme levantamento realizado a partir das mudanças recentes na legislação, foram registradas sete multas por maus-tratos de animais na cidade. As infrações geraram R$ 34,7 mil em multas, entre as quais apenas R$ 2,6 mil foram pagas. Entre o montante não pago pelos infratores, R$ 18,1 mil foi ajuizado, R$ 2,2 mil foi a protesto e outros R$ 11,6 mil estão em processo de defesa. A Sema esclarece ainda que o pagamento parcial está em conta própria da administração municipal no Banrisul, enquanto o valor restante ainda está em litígio, assim como os demais autos de infração.

Leite em Venâncio Aires

Comitiva do governo estadual visitou a cidade nesta terça-feira, 11. (Foto: Rodrigo Martini)

Prefeito de Venâncio Aires, Jarbas da Rosa (PDT) classificou como “muito proveitosa” a rápida visita do governador Eduardo Leite (PSDB) na tarde de ontem. Entre promessas e anúncios, o chefe do Executivo gaúcho garantiu mais 84 casas populares (além das 40 já anunciadas) para o município. Dessas, 52 são referentes à enchente de setembro de 2023, e cujas obras devem enfim sair do papel com a incorporação dos projetos a uma ata de registro de preço licitada pelo próprio governo estadual (a licitação realizada pelo município restou deserta). Leite também garantiu a reforma do ginásio da Escola Estadual Adelina Konzen. E Rosa também celebrou e muito este ato. Afinal, o próprio prefeito passou boa parte da vida escolar naquele ambiente.

Memoriais às Pontes de Ferro

Além da destruição de parte da ponte de ferro, a “irmã” da histórica travessia entre Arroio do Meio e Lajeado também tombou com a força das águas de maio. Eu falo da não menos histórica ponte de ferro localizada no território de Forquetinha, ao lado da pista nova da BR-386, e cuja estrutura não resistiu às enchentes do mês passado, reforço. A partir disso, já existem grupos de empresários pensando em uma forma de resgatar as pontes tombadas para a construção de memoriais às enchentes nos respectivos municípios. Não é uma prioridade para o momento, é claro. Mas é uma ideia interessante para não deixar que a tragédia caia no esquecimento ao longo das décadas.

TIRO CURTO

  • O governo de Fazenda Vilanova conta com Diário Oficial Eletrônico desde segunda-feira. Ou seja, todos os atos administrativos podem ser verificados pelos contribuintes no site oficial da administração municipal.
  • Em Encantado, o projeto de lei do Executivo que prevê a concessão da Lagoa da Garibaldi novamente não foi à votação. A matéria segue sob análise da Comissão de Constituição e Justiça, Redação e Bem-Estar Social.
  • Também em Encantado, o projeto do governo para denominar de “Avenida Cristo Protetor” a via pública que dá acesso ao complexo turístico no alto do Morro das Antenas também não foi à votação. A descomplicada proposta recebeu pedido de vistas do vereador Roberto Salton (PDT).
  • A Associação Comercial e Industrial de Lajeado (Acil) anuncia o evento Vale + Forte no dia 27 de junho, no Teatro da Univates.
  • O Movimento Reconstruir Cruzeiro do Sul realiza evento amanhã, às 19h, no Restaurante Dona Laura. O espaço será destinado para debater as próximas ações naquele município, com destaque à reconstrução das moradias e a escolha de terrenos para receber as habitações.

Acompanhe
nossas
redes sociais