Projeto do Ceat moderniza colégio e ruas de Lajeado

INVESTIMENTO EM EDUCAÇÃO

Projeto do Ceat moderniza colégio e ruas de Lajeado

Obras, que devem iniciar em março, preveem criação de novo muro ao redor do pátio da instituição, com calçamento e arborização em parte da Décio Martins Costa

Por

Projeto do Ceat moderniza colégio e ruas de Lajeado
Prédio em Lajeado passa por reformas e busca qualificar instituição para alunos, familiares e região (Foto: Felipe Neitzke)
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Reforçar a segurança do colégio e oferecer um ambiente moderno à comunidade. Estes são alguns dos objetivos do projeto de um novo muro que cerca o campo do Ceat A iniciativa da instituição se integra às intervenções feitas pelo município na rua Décio Martins Costa para o Parque Linear Engenho e ainda oferece modernidade ao conhecido valão.

As obras devem iniciar na segunda quinzena de março, e incluem o calçamento e arborização das ruas aos redor do colégio. O visual do Centro Comunitário também muda com o novo cercamento.

Em entrevista ao programa Frente e Verso, da Rádio A Hora 102.9, o diretor do Ceat, Rodrigo Ulrich, reforça que as obras oferecem à comunidade um ambiente renovado e bonito.

“Os muros terão espaços vazados para manter essa ligação interna e externa, que é uma marca do colégio e valoriza o espaço público na Décio Martins Costa”, destaca o diretor.

De acordo com os arquitetos do projeto, toda a extensão do campo do Ceat será cercada com muro pré-moldado. A estrutura conta com pilares de concreto e muro opaco em concreto, com o objetivo de gerar ritmo no cercamento. Além disso, junto à calçada, foram criadas floreiras que integram o paredão de pedra grês.

O projeto foi elaborado pelos arquitetos Rafael Gallarreta Fernandes, do Estúdio R Arquitetura, e Adriana Nunes Machado e Camila Cima, da Muram Arquitetura.

CONFIRA IMAGENS DO PROJETO

Muro garante a segurança e oferece um espaço qualificado também à comunidade. Obras devem iniciar em março

Outros investimentos

Ainda está prevista a reforma, ampliação e ligação dos blocos da escola por meio de uma passarela, que passa por processos burocráticos e de autorização junto à prefeitura. No segundo semestre, o colégio lança edital orçamentário e as obras devem iniciar em 2025, com a duração prevista para três anos.

Outra intervenção nos arredores que leva modernidade a Lajeado é a fiação subterrânea feita em frente ao colégio, na Bento Gonçalves, entre as ruas Alberto Torres e Carlos Von Koseritz.

Após a enchente

Mais de 1,6 mil alunos são esperados para o início do ano letivo nesta quarta-feira, 14, em Lajeado. Já em Roca Sales, são 300 estudantes que voltam ao colégio. Para receber os alunos, as duas unidades, que foram atingidas pela enchente de novembro de 2023, receberam intervenções. Entre elas, a nova estrutura para a Educação Infantil na região alta, que terá o primeiro ano letivo de uso a partir desta semana. Além da recolocação do piso do ginásio, finalizada no sábado.

“Roca, até pela limitação de uma estrutura mais reduzida, exigiu uma intervenção bem maior após a enchente. O prédio da Educação Infantil foi praticamente todo produzido do zero”, destaca o diretor.
Ainda, o diretor ressalta a aquisição de terrenos lindeiros ao colégio.

A ideia é poder responder ao aumento do número de alunos e consolidar a participação da instituição em Roca Sales e região. “O objetivo é que a gente possa ter um espaço maior de pátio, um prédio maior para acolher essa demanda”, reforça Ulrich.

Já em Lajeado, as reformas são feitas no bloco 2, um dos mais antigos do colégio, que foi construído respeitando a enchente de 1941. A estrutura passou por reforma, em especial na estrutura hidráulica, com adequações para a realidade atual da escola e da cidade.

O Teatro do Ceat, também atingido pela enchente, ainda aguarda as obras. Segundo o diretor, foi elaborado um projeto com soluções para o caso de novas cheias. Por isso o tempo maior de execução da reforma. A intenção é que o espaço seja reaberto até agosto.

Acompanhe
nossas
redes sociais