Pivi Arbitragem completa 10 anos de atuação

Futebol amador

Pivi Arbitragem completa 10 anos de atuação

Por

Pivi Arbitragem completa 10 anos de atuação

Nessa quinta-feira, o árbitro Jair Welter, o Pivi”, reuniu os amigos e colaboradores da Pivi Arbitragem para comemorar os 10 anos de atuação da empresa no Vale do Taquari, Rio Pardo, Caí e Serra.

Quase todos os esportistas conhecem o Pivi árbitro. Poucos sabem que antes de ingressar na arbitragem, se destacou nos campos amadores do Vale. Com 13 anos disputou o primeiro campeonato na categoria principal. Era o goleiro titular do Catarinense no municipal de Teutônia. Logo depois, passou por diversos clubes da região. De temperamento tranquilo, sempre foi o motivador do elenco e segundo ele, nunca arrumou confusão com árbitro. “Sempre fiquei nas goleiras, as vezes que saía era para bater falta ou pênaltis. Fiz muitos gols na minha carreira.”

Em maio de 2002, aos 32 anos, parou de jogar e, a convite de Wilfred Dannebrock, ingressou na arbitragem. O começo foi no veterano do Esperança, do Bairro Languiru, em Teutônia. Após se destacar, ingressou na Solar, de Lajeado, em 2003. E em 2004, atuou no Departamento de Árbitros de Teutônia. Após quase dez anos, em 2014, criou a própria empresa, a Pivi Arbitragem.

Pivi comenta que a principal dificuldade que teve no inicio foi a falta de oportunidades. Até ser conhecido no Vale, apitava em troca de lanche e refrigerante após o jogo. O primeiro jogo que apitou foi o empate em 0 x 0 entre União da Germano e 11 Amigos. “Hoje é diferente, os árbitros que trabalham comigo atuam em vários campeonatos, ganham muitas oportunidades. A maioria teve sucesso na arbitragem.”

Casado com Sílvia Welter, Pivi explica que sempre teve o apoio da família, mesmo ficando ausente em alguns compromissos aos fins de semana. Conta que no começo, a esposa fazia cobranças pela ausência, mas com o passar do tempo apoiou e hoje ajuda no controle da empresa.

Árbitros federados

Durante o encontro, um dos momentos mais marcantes foram as falas dos árbitros federados no futsal e no campo, como Rafael Klein, que pertence ao quadro da Fifa, Fernando Henz, Peter Maia e Rafael Amaro.

Uma das falas mais marcantes foi a de Klein, que é de Poço das Antas, para ele a região do Vale do Taquari tem excelentes profissionais. “Muitos dizem que tem que trazer os árbitros de fora para dar qualidade aos campeonatos, eu discordo. A qualidade está aqui, e normalmente o que acontece, como a gente acaba ficando muitas vezes no mesmo lugar, trabalhando, trabalhando, trabalhando, a gente tende a pensar que quem vem de fora é melhor do que quem está aqui”, relata citando o exemplo dele em Santa Maria, onde teve que provar que era um bom árbitro.

 

Galeria

Acompanhe
nossas
redes sociais