Languiru atrasa pagamentos de ex-funcionários e sindicato cobra via judicial

COOPERATIVA EM CRISE

Languiru atrasa pagamentos de ex-funcionários e sindicato cobra via judicial

O acordo entre a cooperativa e a entidade que representa os trabalhadores foi firmado em junho do ano passado. Parcelas de rescisões de janeiro e fevereiro deste ano não teriam sido pagas

Por

Atualizado quarta-feira,
07 de Fevereiro de 2024 às 14:48

Languiru atrasa pagamentos de ex-funcionários e sindicato cobra via judicial
Foto: divulgação
Teutônia
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação (Stial) de Montenegro ajuizou nesta quarta-feira, 7, uma ação para cobrar a Cooperativa Languiru os pagamentos das rescisões de contratos dos ex-funcionários do frigorífico de suínos de Poço das Antas. De acordo com a entidade, as parcelas de janeiro e fevereiro não teriam sido pagas.

Em nota, o sindicato diz que foi até a sede da Languiru no dia 15 de janeiro, a fim de “resolver a questão de forma amigável”, mas que os pagamentos não foram efetuados até o início de fevereiro. O Stial acrescenta que “esta decisão foi tomada com pesar, mas diante da falta de diálogo e compromisso por parte da Cooperativa, não podemos mais adiar uma solução justa para os trabalhadores”.

A entidade garante que mantém o diálogo, mas que a partir de agora as conversas entre ela e a Languiru “entram em uma nova esfera, onde a intervenção do Poder Judiciário se faz necessária para garantir que os direitos dos trabalhadores sejam respeitados e que os pagamentos devidos sejam realizados”. Ainda, o comunicado menciona que não serão mais aceitas “respostas evasivas ou falta de compromisso”.

O advogado Daniel Fontana, representante do Stial, explica que uma das prerrogativas do órgão é a representação processual quando há o interesse dos trabalhadores. “Essa ação que foi proposta pelo sindicato é uma forma de pressionar e fazer com que os trabalhadores recebam suas parcelas, porque centenas de famílias precisam desses recursos.”

Sobre o acordo

O Stial de Montenegro representa 580 profissionais envolvidos no encerramento das atividades do frigorífico de Poço das Antas. O acordo entre sindicato e cooperativa foi firmado em 30 de junho do ano passado, com mediação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT). Os valores rescisórios dos trabalhadores foram parcelados em 12 vezes, com valor estipulado pelo salário no momento do término do contrato.

Acordo entre sindicato e Languiru foi firmado em junho de 2023 (Foto: Arquivo A Hora)

Nota da Languiru

COMUNICADO

A Cooperativa Languiru Ltda. – Em Liquidação vem comunicar que na manhã de hoje, 07/02/2024, esteve reunida com os representantes dos Sindicatos da Alimentação de Estrela/Teutônia, Comerciários de Taquari/Teutônia e Comerciários de Lajeado.

Esclarece-se, de forma especial aos seus ex-funcionários, que não conseguirá realizar neste momento o adimplemento integral dos valores relativos ao parcelamento das verbas rescisórias, vencido no último dia 08/01/2024.

Foi realizado alinhamento com os Sindicatos presentes que tão logo seja possível a quitação das parcelas vencidas, estas serão pagas com o acréscimo de 20%, a título de multa. Esta medida, realizada após diálogo, visa a realizar o pagamento da forma mais rápida possível aos trabalhadores.

Por situações alheias à sua vontade, a Cooperativa não teve a capacidade de suportar integralmente estes valores, mas esclarece que permanece na busca de alternativas para regularizar o pagamento acordado, das verbas de direito de cada ex-funcionário.

Paulo Roberto Birck
Liquidante

Cooperativa Languiru LTDA – Em Liquidação

 

Acompanhe
nossas
redes sociais