Massa de ar quente chega ao RS e fim de semana marca 40 graus

TEMPO

Massa de ar quente chega ao RS e fim de semana marca 40 graus

“Bolha” de calor que se instala na Argentina segue em direção ao estado. Vale do Taquari terá pelo menos uma semana de temperaturas extremas

Por

Massa de ar quente chega ao RS e fim de semana marca 40 graus
Fim de semana será de calor no Vale, com temperaturas que variam de 21 a 40 graus (Foto: Bibiana Faleiro)
Vale do Taquari

Uma “bolha” de calor que se instala no centro e norte da Argentina traz interferência ao clima do Rio Grande do Sul. A previsão para os próximos dias é de calor extremo devido aos efeitos dessa massa de ar quente que chega ao estado e as temperaturas podem atingir os 40 graus no Vale neste fim de semana.

O sol também predomina na região, e a tendência é que as próximas semanas apresentem pouco volume de chuva. Enquanto isso, a temperatura deve subir ainda mais na Argentina, com marcas que podem passar de 45 graus. O calor será mais intenso em Santiago del Estero, Catamarca, La Rioja e San Juan.

No Rio Grande do Sul, não são previstas marcas tão extremas, e não há indicação de onda de calor como a de 2022. O calor será mais intenso na metade oeste do estado, onde diversas cidades devem ter máximas de 36 a 40 graus.

Menos chuvas para o inverno

O meteorologista Marcelino Hoppe destaca que as previsões indicam pelo menos uma semana de calor na região, com temperaturas que aumentam gradativamente a cada dia, até chegar a chuva, que ameniza o clima.
De acordo com ele, fevereiro será um mês de precipitações normais, com cerca de 100 milímetros de chuvas em diferentes períodos, e sem previsão de seca. Neste verão, ele diz que o El Niño favorece a agricultura, já que em março chove acima da média.

Os meses seguintes também devem favorecer a colheita, com a entrada do La Niña a partir de maio, que indica clima com menos precipitações no Sul. Além disso, as temperaturas ficam mais baixas devido às entradas de massas de ar frio mais recorrentes. “No estado, temos um terço dos anos com chuvas boas, um terço normal e um terço de seca”, explica Hoppe. O inverno do Sul também é característico por ser um período de mais chuvas e o La Niña pode equilibrar o clima na estação.

El Niño perde força

A previsão é de enfraquecimento do El Niño para as próximas semanas, conforme informa a MetSul Meteorologia. Em 2023, o fenômeno teve início no mês de fevereiro e atingiu o seu máximo de intensidade durante o inverno. No caso do Sul do Brasil, os efeitos da mudança climática foram maiores na chuva com excessos na primavera.

O fenômeno ocorre quando as águas da superfície do Pacífico se tornam mais quentes do que a média e os ventos do leste sopram mais fracos do que o normal na região. A condição oposta é a chamada La Niña. Durante esta fase, a água está mais fria que o normal e os ventos do leste são mais fortes. Os episódios de El Niño, em geral, ocorrem a cada 3 a 5 anos.

Previsão do tempo para o fim de semana

Sexta-feira (2/2)
Mínima: 21 ºC
Máxima: 37 ºC
Chuva: 0%

Sábado (3/2)
Mínima: 21 ºC
Máxima: 38 ºC
Chuva: 0%

Domingo (4/2)
Mínima: 21 ºC
Máxima: 40 ºC
Chuva: 5%

Acompanhe
nossas
redes sociais