“GabClima busca mecanismos jurídicos para ações de prevenção”, explica Diefenbach

ENTREVISTA | FRENTE E VERSO

 “GabClima busca mecanismos jurídicos para ações de prevenção”, explica Diefenbach

Gabinete do MP vai concentrar enfrentamento a eventos climáticos, detalha promotor de Justiça

Por

Atualizado segunda-feira,
11 de Dezembro de 2023 às 11:34

 “GabClima busca mecanismos jurídicos para ações de prevenção”, explica Diefenbach
Sérgio Diefenbach, pomotor de Justiça de Lajeado (Foto: Rodrigo Gallas)

A criação do Gabinete de Mudanças Climáticas (GabClima) foi assunto do programa Frente e Verso desta segunda-feira, 11, com o pomotor de Justiça de Lajeado, Sérgio Diefenbach. Para ele, o gabinete vai permitir buscar mecanismos jurídicos para que seja possível negociar com os governos, empresas e grandes potências econômicas.

“O GabClima vai funcionar como um ponto de concentração de ações, de informações e, inclusive, para definir políticas de atuação do Ministério Público priorizando mudanças climáticas que vem para nos mostrar que estas questões são planetárias e não há como fechar um quarteirão, ou município e proteger disso, pois vem um tufão, invade um bairro e desmancha casas. Há questões que é urgente começarmos a pensar um pouco fora da fronteira. Criamos fronteiras que a natureza não criou”, descreve.

Conforme Diefenbach, o MP está buscando estar próximo dos gestores e da população para juntos encontrar soluções. “Precisamos sair de nossas caixinhas, sejam caixinhas culturais, legais, estruturais  ou institucionais para enxergarmos os novos fenômenos com a grandeza que precisam ser enxergados e, esse fenômeno das mudanças climáticas não nasceu ontem, vem se antevendo que precisaremos mudar nossas formas de convivência.”

Além disso, ele destaca a necessidade da realização de estudos prévios antes das tragédias para não errar durante o processo. “Precisamos reforçar e organizar equipes, retomar gestão dos espaços, das casas, das pessoas e isso não se resolve nessa cheia, precisamos organizar para as próximas, então, nesse ponto o MP com todo o cuidado começa a sentar com os prefeitos e estabelecer alguns compromissos para os próximos episódios para não repetirmos os erros dos presentes”.

E complementa que é preciso reduzir a desigualdade. “Enquanto tivermos muita desigualdade, e hoje temos, não vamos ter equilíbrio e se não tiver equilíbrio, o ecossistema sofre e esse sofrimento se torna mais agudo em momentos de desastres”.

Ano eleitoral

O promotor discorre sobre dois movimentos que o Ministério Público gostaria que não acontecesse durante o período eleitoral. “Os atuais, que estão na situação se colocar completamente na defensiva, escondendo os seus erros e exagerando nos seus acertos. O outro lado é o que fica procurando os defeitos em todos os pontos e querendo que dê vitrine só para os defeitos para enaltecer os deméritos do gestor atual”.

Assista a entrevista na íntegra

Acompanhe
nossas
redes sociais