“A cirurgia plástica me seduziu pela busca da perfeição”, diz Sandro Marques

Diálogos HBB

“A cirurgia plástica me seduziu pela busca da perfeição”, diz Sandro Marques

Médico integra equipe de profissionais do Hospital Bruno Born, de Lajeado

Por

Atualizado sexta-feira,
08 de Dezembro de 2023 às 16:34

“A cirurgia plástica me seduziu pela busca da perfeição”, diz Sandro Marques
Cirurgião plástico Sandro Macedo Marques é o terceiro entrevistado do quadro “Diálogos HBB” (Foto: Marcos Ruschel)
Lajeado

Natural de Rio Grande, no litoral sul do estado, o cirurgião plástico Sandro Macedo Marques é o terceiro entrevistado do quadro “Diálogos HBB”, da Rádio A Hora. Diz ser filho de família simples. A mãe, professora do Estado, e o pai, funcionário público. Marques sempre estudou em colégio público. “Decidi fazer medicina quando estava na 7ª série. Comecei a estudar o corpo humano e fiquei fascinado por isso”, lembra.

Terminou o ensino médio e surgiu a oportunidade de um intercâmbio. “Batalhei por uma bolsa para estudar fora do Brasil. Passei por uma seleção e fiquei um ano estudando nos Estados Unidos, mas já sabia que queria cursar medicina”, conta.

LEIA TAMBÉM:

Depois de voltar, entrou na Universidade Federal de Pelotas para cursar medicina. Após seis anos de curso, fez mais dois anos de cirurgia geral, também em Pelotas. A residência em cirurgia plástica cursou em Porto Alegre, no Hospital Cristo Redentor, durante três anos. “Acabei a residência e vim direto para Lajeado”.

Escolha pela cirurgia plástica

O especialista estava ciente de que a área que seguiria seria medicina, pois gostava muito de estudar o corpo humano, mas não sabia que se tornaria um cirurgião. Ele conta que no último ano da faculdade, tinha uma seleção que podia escolher o estágio, e foi para o hospital Conceição, de Porto Alegre.

“Meu primeiro estágio foi na cirurgia e fiquei apaixonado. É uma questão muito da tua personalidade e a minha era mais atuante. Fazia várias cirurgias em diferentes partes do corpo, mas eu gostava mais do refinamento, do detalhe, do ponto delicado, queria algo mais minucioso, mais detalhista e perfeccionista. Acabei escolhendo a cirurgia plástica”.

Ele diz que a cirurgia plástica o seduziu pela busca à perfeição do detalhe. “Quero sempre o melhor, o mais perfeito, proporcionar satisfação total.” Ele detalha que a plástica não é usada somente em estética, mas em cirurgias reparadoras, de reconstrução de mama, pacientes com paraplegia, tumores de pele, reconstrução de face, dentre outras. “Faço de tudo um pouco, mas o foco maior é a cirurgia estética.”

Lajeado para trabalhar e viver

Marques diz que conheceu Lajeado por meio do irmão que também é médico e integra a equipe de profissionais do HBB e acabou ficando por aqui. “Impossível não se apaixonar por Lajeado.”

Como era profissional novo na cidade, começou a atender em outras regiões do Vale até se tornar mais conhecido. Após nascimento do primeiro filho, diminuiu o ritmo de trabalho fora da cidade e concentrou os trabalhos em Lajeado, entre hospital e consultório. “Com 21 anos de experiência no HBB, não pretendo deixar a cidade”.

Hospital Bruno Born

Com estrutura de ponta, Marques enaltece o hospital e fala sobre a unidade. “Temos um bloco cirúrgico somente de cirurgias ambulatoriais. Conseguimos aumentar muito o volume cirúrgico do HBB muito por conta dessa estrutura. O investimento que se tem é muito significativo”.

Além disso, os cuidados com os equipamentos e pacientes são exemplo dentro do hospital. “As cânulas de lipoaspiração, por exemplo, instrumento fino que aspiramos a gordura, em alguns locais, são lavadas, esterilizadas e reutilizadas, há um grande risco de contaminação. No HBB são descartáveis, garantindo mais segurança ao paciente. Um diferencial do HBB. Por isso, o índice de sucesso em cirurgias é muito alto”, enfatiza.

Família

“Escolhi Lajeado para construir minha carreira, minha vida e família. Me considero um lajeadense por escolha, de coração”.

Sandro Marques é casado, pai de dois filhos, Henrique, 13, e Valentina, 11. “Aproveito o máximo do tempo com minha família. Organizei a agenda entre hospital e consultório, almoço com meus filhos, levo para escola. Aos finais de semana, viajamos, encontramos amigos, aproveito muito o tempo livre.”

Assista a entrevista na íntegra

 

Acompanhe
nossas
redes sociais