“O Vale precisa de um anel viário para diminuir fluxo de veículos”, diz presidente da Vale Log

ENTREVISTA | O VALE EM PAUTA

“O Vale precisa de um anel viário para diminuir fluxo de veículos”, diz presidente da Vale Log

Adelar Steffler acredita que essa implantação vai desafogar os perímetros urbanos. Somente duplicar a BR-386 não vai resolver o problema

Por

“O Vale precisa de um anel viário para diminuir fluxo de veículos”, diz presidente da Vale Log
Foto: Henrique Pedersini
Lajeado

O assunto foi discutido durante entrevista no programa O Vale em Pauta desta quarta-feira, 15. De acordo com o presidente da Vale Log, Adelar Steffler, é necessário ações emergenciais para melhorar a questão logística da região e, uma delas, seria a implantação de um anel viário.

“Precisamos tirar o fluxo de veículos que não tem necessidade de transitar dentro de Arroio do Meio, de Lajeado e Estrela por um anel viário, seja vindo da BR-386 ou da ERS-130. É de extrema importância, pois precisa desafogar os perímetros urbanos. Quem realmente precisa circular dentro dos perímetros urbanos precisa ter fluidez, segurança e economia e, somente com a duplicação da BR-386, isso não vai acontecer”, relata Steffler.

Ele cita, também, que a BR-386 é uma rodovia importante para o escoamento do agro e demais setores. Considerada uma das principais rodovias no estado e situação, segundo ele, é preocupante. “Falta conhecimento e visão de algumas pessoas. A duplicação da BR-386 não vai acabar ou diminuir o fluxo, mas aumentar ainda mais. Todo mundo quer rodar numa rodovia que tem agilidade, rapidez, segurança e economia. Vamos ter um gargalo na região, pois o número de veículos vai ser cada vez maior, isso vai ser um grande problema”.

Outro assunto comentado é o sistema Free Flow que começa a operar em alguns pontos do estado. “Isso é futuro, não tem como voltar pra trás, não podemos entender ou achar que alguns precisam pagar a conta de todos. O Free Flow traz realmente o pagamento justo para todos, vamos pagar menos e arrecadar mais dinheiro e, consequentemente, mais obras serão realizadas, rodovias com fluidez maior e a segurança. Quanto mais dinheiro, mais investimento”, cita.

Para a Vale Log, 2023 foi difícil, pois no começo do ano, enfrentavam a crise da proteína animal, depois a estiagem e, no segundo semestre, a chuva intensa, mas o presidente acredita conseguir fechar o ano com bons resultados.

“A cooperativa nasceu dentro do agro, transportamos praticamente 95% produtos que vem do agronegócio, setor primário que é o grão – milho, soja, arroz, trigo e produtos acabados como farelo, alguns tipos de rações e nosso carro chefe é o setor agrícola, da fábrica para a lavoura, que é o fertilizante, e da lavoura para a fábrica de rações ou portos. O agro fomenta nosso transporte e esperamos fechar 2023 com chave de ouro”.

Acompanhe
nossas
redes sociais