“É um absurdo a ERS-130 ficar de fora do plano de investimentos do Estado”

ENTREVISTA | O VALE EM PAUTA

“É um absurdo a ERS-130 ficar de fora do plano de investimentos do Estado”

Presidente da Avat, Daiani Maria relata que nova audiência foi agendada com o Daer para terça-feira, 31

Por

Atualizado quarta-feira,
25 de Outubro de 2023 às 18:03

“É um absurdo a ERS-130 ficar de fora do plano de investimentos do Estado”
(Foto: Maira Schneider)
Cruzeiro do Sul

Em entrevista ao programa o Vale em Pauta, da Rádio A Hora 102.9, desta quarta-feira, 25, a presidente da Associação de Vereadores do Vale do Taquari (Avat) e da câmara de Cruzeiro do Sul, Daiani Maria (MDB) diz que não entende como a ERS-130 ficou de fora do plano de investimento do governo estadual. A via serve como rota de escoamento de produção. Em um trajeto de 15 km, circulam mais de 3 mil pessoas todos os dias.

“A rodovia é rota de escoamento da produção. Interliga municípios. Em 2021, entregamos um projeto de engenharia na Secretaria de Logística e Transportes, em Porto Alegre, temos protocolo de recebimento do secretário, ofício do prefeito solicitando uma atenção especial. Na época, o discurso era que não haviam recursos, se esperava a venda da Corsan. Em 2022, o secretário esteve em Cruzeiro do Sul, percorreu todo o trajeto conosco e informou que a rodovia estava no radar do Estado. Em 2023, o radar do estado, certamente deu algum problema que não incluiu a rodovia no plano de investimentos. Isso é um absurdo”, desabafa.

Uma audiência está agendada para a próxima terça-feira, 31, às 10h, no Daer. De acordo com Daiani, essa agenda foi marcada pelo deputado Edivilson Brum. “Estaremos levando mais uma vez o projeto para saber o que está faltando para que seja executado”.

Além da rodovia, a parlamentar fala sobre benefícios destinados às pessoas que tiveram prejuízos durante a enchente. Até a próxima sexta-feira, 27, acontece o cadastramento de pessoas para receber valores via Pix que podem chegar a R$ 2,5 mil. Quem pode ser beneficiado, segundo ela, são os MEIs (ativos até 30 de agosto), autônomos (precisam estar ativos) e pequenos agricultores (precisam levar o talão de produtor).

“A inscrição é feita e passa por análise. Acredito que cerca de 450 pessoas devem estar realizando esse cadastro, para posterior liberação do valor. A previsão para liberação é de 10 a 15 dias, o que pode variar”, acrescenta. Cerca de 107 empresas foram diretamente atingidas. A prefeitura busca alternativas para viabilizar prejuízos. Daiani cita também a parceria com o Sinduscon para construção de casas provisórias.

Assista a entrevista na íntegra

Acompanhe
nossas
redes sociais