Lixo e sujeira em terrenos incomodam moradores

Demandas do Montanha

Lixo e sujeira em terrenos incomodam moradores

Demanda aparece como uma das campeãs em reclamações no bairro. Na Ouvidoria, pedidos por roçadas são frequentes, mas soluções esbarram nas dificuldades em encontrar proprietários

Por

Lixo e sujeira em terrenos incomodam moradores
Pedidos por roçadas em terrenos estão entre os mais solicitados na Ouvidoria / Crédito: Mateus Souza
Lajeado

Obstáculos no caminho. Matagal em terrenos baldios. Presença de insetos e roedores. Reclamações constantes da comunidade do bairro Montanha. Embora tenha ganhado novos investimentos públicos e privados nos últimos anos, a localidade ainda sofre com problemas típicos de uma cidade em pleno desenvolvimento

As reclamações são frequentes. Trata-se de uma das principais demandas que chegam até a Associação de Moradores do Montanha. Os locais indicados são variados. Mesmo em áreas mais urbanizadas, há relatos de terrenos sem edificações com acúmulo de resíduos e lixo verde, além do mato avançando nas calçadas.

Uma moradora, que prefere não se identificar, comenta que a grande quantidade de sujeira depositada nestes terrenos atrai até ratos e, em muitos casos, os proprietários não são localizados para efetuar a limpeza. “Infelizmente é um problema crônico. Muitas pessoas não estão nem aí com o próprio bairro, ou com os vizinhos.”

Na maioria dos casos, as denúncias feitas à Ouvidoria de Lajeado são feitas de forma anônima, justamente porque as pessoas têm receio de sofrer represálias. Até por isso, o acúmulo de lixo em determinados pontos é frequente.

 

Problemas
com o lixo

Outra situação bastante questionada é quanto à coleta do lixo. Este foi um dos problemas relatados por Silvane Kohlrausch, integrante da Associação de Moradores do Bairro Montanha no debate da Rádio A Hora 102,9.

“Quando vão colocar lixeiras que sejam realmente boas para a coleta seletiva? Os moradores falam muito comigo sobre isso”, frisa. No Montanha, o trabalho de recolhimento do lixo separado corretamente é feito sempre nas terças-feiras, desde o começo da manhã. Há, porém, quem defenda mais horários durante a semana.

Já a coleta convencional ocorre de segunda a sábado, sempre entre a manhã e a tarde. Porém, por vezes, a alternância nos horários confunde moradores, que depositam os resíduos após o caminhão ter passado pelo local.

Dificuldade
em localizar

Coordenador de Relações Comunitárias do município, Günther Meyer já atuou na Ouvidoria e admite que os pedidos por roçadas em terrenos são frequentes. No bairro Montanha, especificamente, aparece como uma das maiores reivindicações. Porém, nem sempre a resolução do problema é imediata.

“É um bairro com muitas reclamações nesse sentido, pois tem muita área sem edificações. Mas são terrenos particulares e, muitas vezes, é demorado notificar e dar prazo. Se não cumprirem, tem que notificar de novo, dar novo prazo. Só depois disso, se publica no Diário Oficial e colocam na lista para roçar”, comenta.

Meyer comenta que, embora a morosidade gere críticas da comunidade, são procedimentos legais que precisam ser cumpridos. “Isso quando o fiscal consegue notificar logo o proprietário do terreno”.
Nem mesmo a aprovação de uma lei na câmara de vereadores, no ano passado, torna o processo mais ágil. “Agora o município pode efetuar a roçada e cobrar depois. Mas também é um procedimento demorado”.

É um bairro com muitas reclamações nesse sentido, pois tem muita área sem edificações. Mas são terrenos particulares e, muitas vezes, é demorado notificar e dar prazo. Se não cumprirem, tem que notificar de novo, dar novo prazo”

Günther Meyer, coordenador de Relações Institucionais do município

FLAGRANTES

Imagens enviadas à reportagem mostram um pouco do descaso no bairro, com terrenos sujos, acúmulo de lixo e até mesmo calçadas danificadas. Veja:

Acompanhe
nossas
redes sociais