Estudantes do Gustavo Adolfo são desafiados a criar negócios

Empreendedorismo

Estudantes do Gustavo Adolfo são desafiados a criar negócios

Por

Estudantes do Gustavo Adolfo são desafiados a criar negócios
Uma das empresas desenvolvidas foi a “Coffee Express” (Foto: Bianca Mallmann)
Lajeado

Uma empresa especializada em passeios para cães. Este foi o negócio criado por Henrique Käfer, 16, e os colegas de grupo. O empreendimento foi desenvolvido do zero, onde os estudantes foram responsáveis por todas as etapas de criação da empresa. O projeto contou com a participação dos estudantes do 2º ano do Ensino Médio do Centro de Educação Básica Gustavo Adolfo.

“Se chama Dog Health. Buscamos promover a sustentabilidade e o cuidado com os animais. E foi uma experiência bem diferente, que pode me ajudar no futuro, na minha carreira”, conta Henrique.
Outra empresa criada durante o projeto foi o Coffee Express. “É para quem tem uma vida mais corrida. Pensamos em um serviço rápido, para qualquer hora do dia a pessoa ter um lanche e um café já prontos”, contam Ana Radaelli, 16, e suas colegas que integram outro grupo.

O “Empreenda-se GA 2023” foi desenvolvido desde o início do semestre no componente curricular Estúdio e desafiou os alunos a criarem a estrutura de uma empresa. Os projetos de empreendedorismo foram apresentados na quarta-feira, 7, pela manhã, no saguão do prédio 1 da Univates.

Desde fevereiro, os estudantes tiveram a oportunidade de aprender sobre planejamento estratégico, identificação de oportunidades de negócios, gestão financeira, trabalho em equipe e habilidades de comunicação, com professores de diferentes áreas e convidados externos, como especialistas e empresários.

O componente curricular foi trabalhado por cinco professores de diferentes áreas do conhecimento, desde linguagem até biologia. “Os alunos puderam identificar as diferentes funções dentro de uma empresa. Tem planilha de custos, responsabilidade ambiental e social. São empresas viáveis, isso é o mais legal de tudo”, conta o professor e coordenador pedagógico do Ensino Médio, Willian Hoppe.

Um dos desafios dos jovens foi o de aprender a lidar com as frustrações. No início do ano surgiram muitas ideias. Algumas ficaram pelo caminho por não serem viáveis, e por outro lado, novas ideias surgiram. “O empreendedorismo é uma pauta do século XXI. Tem que estar na sala de aula. E com esse projeto nós pretendemos fazer com que a escola seja o mais próximo possível da vida lá fora”, diz Hoppe.

 

Acompanhe
nossas
redes sociais